Banco do Brasil reduz salários das funções comissionadas de 6h e impõe adesão ao novo plano

29.01.2013

Federação reúne dirigentes dos sindicatos filiados na quarta-feira para esclarecer dúvidas e dar orientações jurídicas às entidades O Banco do Brasil implantou nesta segunda-feira, 28, o novo Plano de Comissões com Jornada de 6h e apresentou a versão completa às entidades sindicais, em reunião realizada em São Paulo. No último dia 22, em Brasília, o […]

Federação reúne dirigentes dos sindicatos filiados na quarta-feira para esclarecer dúvidas e dar orientações jurídicas às entidades

O Banco do Brasil implantou nesta segunda-feira, 28, o novo Plano de Comissões com Jornada de 6h e apresentou a versão completa às entidades sindicais, em reunião realizada em São Paulo. No último dia 22, em Brasília, o banco se limitou em apresentar o esboço do plano. Veja aqui.

Apesar de reivindicado desde o término da Campanha de 2012, o BB não abriu nenhum processo de negociação específica. Para o Banco, “gestão” não se negocia.

O secretário-geral da Feeb-SP/MS e membro da CE BB, Jeferson Boava, avalia que “o novo plano, é verdade, resulta da mobilização deflagrada pelos sindicatos em defesa da jornada de 6h para todos, indistintamente. Ao adotar o novo plano o BB reconhece a ilegalidade cometida e cria mais de 20 mil cargos de 6h, porém o plano ainda é incompleto – não contempla todos”. Além disso, “o novo plano deveria ser negociado e não imposto”, diz.

Diante da intransigência da instituição, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb-SP/MS) reúne dirigentes de sindicatos filiados, funcionários do BB, nesta quarta-feira, dia 30, às 9h30, para discutir o novo plano. O objetivo do encontro é preparar os sindicatos e subsidiá-los com informações e orientações jurídicas para as plenárias que serão realizadas com os trabalhadores.

Aparecido Roveroni, diretor da Feeb-SP/MS, reforça que os funcionários não devem tomar qualquer decisão antes de quarta-feira, sem saber exatamente quais serão os impactos do novo plano em sua carreira. "É importante que aguardem as orientações de seus sindicatos”, frisa.

 Fonte: Feeb-SP/MS

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados