Banco público avança mais na concessão de crédito

27.05.2013

Em abril, a participação das instituições públicas no crédito foi de 49,2%, ante 35,1% das particulares nacionais e de 15,8% dos privados estrangeiros O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel: nas instituições privadas nacionais, o estoque de crédito total aumentou 1,6% no ano, R$ 860,1 bilhões, estável em relação a março. Brasília […]

Em abril, a participação das instituições públicas no crédito foi de 49,2%, ante 35,1% das particulares nacionais e de 15,8% dos privados estrangeiros

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel: nas instituições privadas nacionais, o estoque de crédito total aumentou 1,6% no ano, R$ 860,1 bilhões, estável em relação a março.

Brasília – O chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Túlio Maciel, destacou nesta sexta-feira que a participação dos bancos públicos na concessão de crédito tem evoluído mais do que a das instituições financeiras privadas nacionais e estrangeiras. Em abril, a participação das instituições públicas no crédito foi de 49,2%, ante 35,1% das particulares nacionais e de 15,8% dos privados estrangeiros, anunciou.

O estoque de crédito total (livre + direcionado) nos bancos públicos teve expansão de 6,3% no primeiro quadrimestre de 2013, em relação ao mesmo período de 2012, afirmou o BC, somando R$ 1,206 trilhão. O crescimento foi de 2,1% em abril ante março e de 29,1% em 12 meses.

Nas instituições privadas nacionais, o estoque de crédito total aumentou 1,6% no ano, R$ 860,1 bilhões, estável em relação a março. O crescimento foi de 6,2% em 12 meses. Nos bancos estrangeiros privados, recuou 0,2% no ano, para R$ 386,5 bilhões. Contudo, houve aumento de 0,2% em abril ante março e de 6,6% em 12 meses.

A inadimplência total teve alta de 0,1 ponto porcentual nas instituições estatais no trimestre, para 2% da carteira. Nas instituições privadas nacionais, permaneceu estável, em 5% do total da carteira. Nas instituições estrangeiras, houve queda de 0,1 ponto porcentual, para 5,5% da carteira. As provisões permaneceram em 3,8% da carteira no fim de abril para as instituições financeiras públicas. Nos privados nacionais recuaram 0,2 ponto porcentual, para 6,9% e nos privados estrangeiros, a queda foi de 0,1 ponto porcentual, para 6,3% da carteira. 

Fonte: O Estado de S.Paulo

Notícias Relacionadas

Caixa terá processo seletivo para a escolha dos diretores da FUNCEF

Inscrições já foram iniciadas e seguem até a próxima quinta-feira (9/2) Os cargos de diretor-presidente e diretor de Investimentos e Participações Societárias e Imobiliárias da Fundação dos Economiários Federais (FUNCEF) serão escolhidos por meio de processo seletivo. O anúncio foi feito em edital publicado pela Caixa. As inscrições tiveram início na última sexta-feira (3/2) e […]

Leia mais

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Sindicatos filiados