Banco público avança mais na concessão de crédito

27.05.2013

Em abril, a participação das instituições públicas no crédito foi de 49,2%, ante 35,1% das particulares nacionais e de 15,8% dos privados estrangeiros O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel: nas instituições privadas nacionais, o estoque de crédito total aumentou 1,6% no ano, R$ 860,1 bilhões, estável em relação a março. Brasília […]

Em abril, a participação das instituições públicas no crédito foi de 49,2%, ante 35,1% das particulares nacionais e de 15,8% dos privados estrangeiros

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel: nas instituições privadas nacionais, o estoque de crédito total aumentou 1,6% no ano, R$ 860,1 bilhões, estável em relação a março.

Brasília – O chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Túlio Maciel, destacou nesta sexta-feira que a participação dos bancos públicos na concessão de crédito tem evoluído mais do que a das instituições financeiras privadas nacionais e estrangeiras. Em abril, a participação das instituições públicas no crédito foi de 49,2%, ante 35,1% das particulares nacionais e de 15,8% dos privados estrangeiros, anunciou.

O estoque de crédito total (livre + direcionado) nos bancos públicos teve expansão de 6,3% no primeiro quadrimestre de 2013, em relação ao mesmo período de 2012, afirmou o BC, somando R$ 1,206 trilhão. O crescimento foi de 2,1% em abril ante março e de 29,1% em 12 meses.

Nas instituições privadas nacionais, o estoque de crédito total aumentou 1,6% no ano, R$ 860,1 bilhões, estável em relação a março. O crescimento foi de 6,2% em 12 meses. Nos bancos estrangeiros privados, recuou 0,2% no ano, para R$ 386,5 bilhões. Contudo, houve aumento de 0,2% em abril ante março e de 6,6% em 12 meses.

A inadimplência total teve alta de 0,1 ponto porcentual nas instituições estatais no trimestre, para 2% da carteira. Nas instituições privadas nacionais, permaneceu estável, em 5% do total da carteira. Nas instituições estrangeiras, houve queda de 0,1 ponto porcentual, para 5,5% da carteira. As provisões permaneceram em 3,8% da carteira no fim de abril para as instituições financeiras públicas. Nos privados nacionais recuaram 0,2 ponto porcentual, para 6,9% e nos privados estrangeiros, a queda foi de 0,1 ponto porcentual, para 6,3% da carteira. 

Fonte: O Estado de S.Paulo

Notícias Relacionadas

Comando Nacional dos Bancários entregará minuta de reivindicações à Fenaban no dia 18

No mesmo dia, trabalhadores do BB e da Caixa farão a entrega das minutas específicas de cada banco O Comando Nacional dos Bancários entregará à Federação Nacional do Bancos (Fenaban), na próxima terça-feira (18), a minuta de reivindicações que servirá de base à Campanha Nacional de 2024, para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho […]

Leia mais

Bancários aprovam minuta de reivindicações da Campanha Nacional 2024

Documento, que servirá de base à renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, será entregue à Fenaban no próximo dia 18 Bancárias e bancários, de todo o Brasil, aprovaram, em assembleias realizadas nesta quinta-feira (13), a minuta de reivindicações que servirá de base à Campanha Nacional de 2024, para a renovação da Convenção Coletiva […]

Leia mais

Contraf-CUT pede informações à Caixa sobre PDV

Objetivo é garantir a transparência do processo e amenizar ansiedade dos trabalhadores A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) enviou, nesta terça-feira (11), um ofício à Caixa Econômica Federal solicitando informações sobre o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) do banco. No ofício, a Contraf-CUT observa que “o prazo de adesão” ao PDV “se […]

Leia mais

Sindicatos filiados