Bancos não apresentam propostas sociais e insistem em impor perdas econômicas à categoria

30.08.2016

Federação orienta os sindicatos a submeterem a proposta apresentada em assembleia até o dia 02 de setembro, com indicativo de greve a partir das 0h00 do dia 06 Terminou sem avanços e sem novidades, a reunião de negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), ocorrida na tarde desta terça-feira (30), no Hotel Maksoud Plaza, […]

Federação orienta os sindicatos a submeterem a proposta apresentada em assembleia até o dia 02 de setembro, com indicativo de greve a partir das 0h00 do dia 06

Terminou sem avanços e sem novidades, a reunião de negociação com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), ocorrida na tarde desta terça-feira (30), no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo. Bancos permaneceram com a proposta econômica (6,5% de índice sobre salários, vales e demais verbas, mais abono de R$ 3 mil).

A representante dos bancos realizou sua explanação sobre as cláusulas sociais e as negativas às reivindicações dos trabalhadores bancários predominaram durante a reunião.

PLR

A fórmula permanecerá inalterada. A reivindicação do movimento sindical é de que a fórmula seja adequada para que os bancos, que são altamente lucrativos e cortam postos de trabalho, distribuam o percentual mínimo previsto na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que é de 5% do lucro do banco.

Licença paternidade

Passará a ser adotada pelos bancos a partir de janeiro de 2017,  a exemplo do ocorrido com a licença maternidade estendida, já que este ano não está previsto no orçamento.

Programa de Reabilitação

Cláusula 44 da CCT, terá o nome alterado para Programa de Retorno ao Trabalho, uma reivindicação antiga do movimento sindical.

Auxílio creche

Apesar da ponderação do movimento sindical de que o valor é baixo e não atende às necessidades dos bancários, os bancos se limitaram a dizer que será tratado como cláusula econômica e não apresentaram proposta.

Vale Cultura

Fenaban reiterou a posição de que a renovação ficará condicionada à manutenção da lei, que expira em 31 de dezembro de 2016.

Sequestro

Sobre os casos de extorsão mediante sequestro, os bancos insistem que só é possível clausular item que envolva diretamente o bancário.

Igualdade de Oportunidades

Os representantes dos bancos sinalizaram que os temas apontados pelo movimento sindical deverão ser abordados na mesa temática.

Agências digitais

A Fenaban afirma que não tem condições de discutir o tema globalmente e que deverá ser tratado banco a banco.

“No dia de hoje os bancos mantiveram postura intransigente de não apresentar proposta global e permaneceram com estratégia de tentar impor à categoria um índice de reajuste que propõe perda do poder aquisitivo aos bancários. Importante nesse momento os sindicatos em sintonia com os bancários de suas bases organizarem grandes assembleias para demonstrarmos nosso descontentamento com essa intransigência”, avalia Jeferson Boava, vice-presidente da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS).

Assembleias

A Federação orienta os sindicatos a submeterem a proposta apresentada em assembleia até o dia 02 de setembro, com indicativo de greve a partir das 0h00 do dia 06.
 

 

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados