BB irá pagar gratificação para caixas atingidos pela reestruturação durante 4 meses

22.02.2017

  A PLR será paga em até 10 dias úteis após a distribuição dos dividendos aos acionistas, prevista para o dia 10 de março; o banco informou que fará esforço para realizar a antecipação Durante reunião de negociação com a Comissão de Empresa do Banco do Brasil (CEBB), na tarde desta quarta-feira (22), em Brasília, […]


 

A PLR será paga em até 10 dias úteis após a distribuição dos dividendos aos acionistas, prevista para o dia 10 de março; o banco informou que fará esforço para realizar a antecipação


Durante reunião de negociação com a Comissão de Empresa do Banco do Brasil (CEBB), na tarde desta quarta-feira (22), em Brasília, representantes do banco afirmaram farão pagamento da gratificação durante quatro meses aos caixas que perderam a função devido ao processo de reestruturação. O período abrange 31 de janeiro a 31 de maio.

A decisão é fruto da audiência pública com o Ministério público do Trabalho (MPT), que terá nova audiência sobre a reestruturação, a terceira, no próximo dia 02 de março, em Brasília.

O banco não reconheceu a função de caixa, conforme a reivindicação dos sindicatos, assim como o pagamento da VCP (Verba de Caráter Pessoal), que garante pagamento de remuneração aos funcionários que perderam cargos ou devido à extinção de sua agência, aos caixas atingidos, porém o BB negou.

“O banco ao menos concordou agora em pagar a gratificação e os caixas que ainda não foram realocados irão receber os possíveis dias sem a remuneração, o que evitará a esses funcionários um prejuízo financeiro imediato”, avalia a representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) na CEBB, Maria do Carmo Peggau.

PLR – A Participação nos Lucros e Resultados referente ao segundo semestre de 2016, será paga em até 10 dias úteis após a distribuição dos dividendos aos acionistas, prevista para o dia 10 de março, porém o banco informou que fará esforço para realizar a antecipação.

Pendências – O BB se comprometeu com os sindicatos a repassar o cronograma de Implantação da Plataforma de Suporte Operacional (PSO) e outro sobre a implantação dos escritórios digitais, porém, nenhuma das duas promessas foi cumprida.

De acordo com os representantes do BB, o Programa de Assistência Social (PAS), do banco passará por readequação, visando a situação financeira dos funcionários descomissionados pelo processo de reestruturação.

A próxima rodada de negociação ainda não tem data para ocorrer.
 

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados