BB: Movimento sindical cobra equiparação de direitos para trabalhadores de bancos incorporados

13.04.2023

Principal reivindicação é pela solução da questão do plano de saúde dos aposentados, agravada nos últimos anos devido aos reajustes nas revisões trimestrais de custeio do FEAS e Economus Futuro Funcionários do Banco do Brasil (BB) oriundos das instituições financeiras incorporadas Banco Nossa Caixa (BNC), Banco do Estado de Santa Catarina (Besc) e Banco do […]

Funcionários do Banco do Brasil (BB) oriundos das instituições financeiras incorporadas Banco Nossa Caixa (BNC), Banco do Estado de Santa Catarina (Besc) e Banco do Estado do Piauí (BEP) cobram uma mesa de negociação para questões pendentes e que envolvem planos de saúde e de previdência. A mesa de negociação sobre questões relacionadas com os funcionários incorporados está prevista no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos trabalhadores do BB.

Já as demandas relacionadas à equiparação de direitos como os planos Cassi e Previ seguem pendentes. Os representantes dos trabalhadores cobram diálogo com o banco para que sejam atendidos os direitos de todos (as). Como principal pauta da negociação está o plano de saúde dos aposentados, agravado nos últimos anos devido aos reajustes nas revisões trimestrais de custeio do FEAS e Economus Futuro.

Diálogo

No dia 3 de abril, o presidente da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ), João Fukunaga, recebeu representantes do Economus, entidade fechada de previdência complementar do antigo BNC.

“Estamos no caminho certo. Com as alterações da direção da instituição e o novo governo, temos visto um cenário positivo para a negociação. Enquanto movimento sindical nosso papel é cobrar a igualdade e manutenção dos direitos para todos os  trabalhadores”, defende David Zaia, presidente da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS).

“Nesta semana estivemos com o presidente da Previ, João Fukunaga, e reforçamos o pedido de debate para a solução das questões previdenciárias e de saúde dos colegas egressos do Banco Nossa Caixa. Tivemos um bom aceno para a construção em conjunto de uma saída que atenda aos direitos e às expectativas do trabalhador”, completa o presidente.

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados