BB Seguridade lucra R$ 550 milhões no 2º trimestre, com alta de 31,4%

12.08.2013

SÃO PAULO – A BB Seguridade registrou lucro líquido contábil de R$ 550,3 milhões no segundo trimestre, o que representa um avanço de 84,9% na comparação com igual período do ano passado. Em termos ajustados, que exclui itens extraordinários do segundo trimestre de 2012, o avanço é de 31,4%. Este período de 2013 não apresentou […]

SÃO PAULO – A BB Seguridade registrou lucro líquido contábil de R$ 550,3 milhões no segundo trimestre, o que representa um avanço de 84,9% na comparação com igual período do ano passado. Em termos ajustados, que exclui itens extraordinários do segundo trimestre de 2012, o avanço é de 31,4%. Este período de 2013 não apresentou nenhum efeito extraordinário, segundo balanço divulgado nesta segunda-feira. O desempenho no período corresponde a um retorno sobre o patrimônio líquido médio (RSPL) de 39,1%.

“O resultado do trimestre foi impulsionado pela expansão dos negócios, que elevou os resultados das coligadas de seguros, previdência e capitalização, além de proporcionar expansão das receitas com corretagem”, diz o aviso de acionistas sobre a divulgação do resultado do período.

Primeiro semestre

A BB Seguridade apresentou lucro líquido contábil de R$ 1,022 bilhão no primeiro semestre do ano. Excluindo efeitos extraordinários do período, o lucro ajustado da companhia no semestre alcançou R$ 1,005 bilhão.

O resultado permite a destinação de R$ 817,8 milhões para distribuição aos acionistas na forma de dividendos, o que equivale a 80% do lucro líquido (“payout”). Considerando a distribuição de dividendos, o retorno sobre o patrimônio líquido médio (RSPL) ajustado foi de 38,1% no primeiro semestre do ano.

Corretagem em alta

O resultado do segundo trimestre foi impulsionado pelo forte ganho da operação de corretagem, que responde por 42% do lucro líquido da companhia. Só a corretora reportou lucro de R$ 231,6 milhões no trimestre, um crescimento de 41,8% em 12 meses.

As outras operações da companhia também apresentaram ganhos robustos. O lucro da unidade de seguros de vida e rural (chamada de BB Mapfre SH1) atingiu R$ 197,2 milhões, avanço de 26,3% na comparação anual. O ganho da operação de previdência aberta cresceu 24,7%, para R$ 144,6 milhões. O lucro de seguros de danos e patrimônio (Mapfre BB SH2) foi de 79,6 milhões, um aumento de 53,8%.

O único negócio que apresentou um ganho mais fraco foi o de títulos de capitalização, impactado pelo mau desempenho do resultado financeiro. A operação apresentou lucro líquido de R$ 28,3 milhões, um recuo de 21,9% na comparação com o resultado ajustado. O resultado financeiro foi negativo em R$ 3,7 milhões, ante ganho de R$ 40,7 milhões no segundo trimestre de 2012.

“O crescimento dos resultados decorre da expansão dos negócios, que elevou os resultados das coligadas de seguros, previdência e capitalização, além de proporcionar crescimento das receitas com corretagem. O desempenho do período ocorreu mesmo em um cenário adverso para o resultado financeiro das coligadas, impactado principalmente pela elevação das taxas de juros no mercado futuro”, diz a companhia em relatório de análise de desempenho.

A reversão do resultado atribuível à BB Seguridade proveniente do segmento de seguros patrimoniais, que atingiu R$ 39,8 milhões no trimestre, também contribuiu para o avanço do lucro no período. No segundo trimestre de 2012, o resultado atribuível à companhia foi negativo em R$ 1,3 milhão, em razão de eventos extraordinários. Outro fator positivo no resultado foi o crescimento de 65,4% da receita de juros de instrumentos financeiros, que totalizou R$ 29,2 milhões, explicado pelo crescimento das receitas com aplicações em operações compromissadas, resultante do crescimento no volume destas aplicações.

O faturamento total das companhias coligadas à BB Seguridade atingiu R$ 11,5 bilhões no segundo trimestre, um crescimento de 36,7% em 12 meses e de 12,8% sobre o primeiro trimestre.

Guidance para 2013

A companhia apresentou, pela primeira vez, projeções (“guidance”) para o seu desempenho em 2013. A estimativa para o retorno sobre o patrimônio líquido médio (RSPL) ajustado ficou entre 37% e 41%. A projeção para o crescimento dos prêmios da operação de vida e rural é entre 37% e 49% e da unidade de seguros patrimoniais é de 15% a 20%. A estimativa de avanço da arrecadação de previdência aberta é entre 30% e 40% e de títulos de capitalização, entre 50% e 65%.

Fonte: Valor Econômico

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados