BNP Paribas cresce 17,9% no crédito no Brasil

24.03.2014

Por Carolina Mandl | De São Paulo Valor Econômico  Mais animado com o Brasil, o BNP Paribas acelerou no crédito ao longo do ano passado ao fechar mais operações para multinacionais europeias com presença no país. O estoque de empréstimos da subsidiária brasileira do maior banco da França encerrou 2013 em R$ 1,9 bilhão, com […]

Por Carolina Mandl | De São Paulo
Valor Econômico 

Mais animado com o Brasil, o BNP Paribas acelerou no crédito ao longo do ano passado ao fechar mais operações para multinacionais europeias com presença no país.

O estoque de empréstimos da subsidiária brasileira do maior banco da França encerrou 2013 em R$ 1,9 bilhão, com crescimento de 17,9% na comparação com o ano retrasado.

Essa cifra leva em consideração apenas as operações classificadas como crédito pelo Banco Central. Na média, os bancos de capital estrangeiro tiveram uma expansão de 9% no saldo de empréstimos no ano passado.

"Passamos de um modo passivo a um esforço ativo", diz Louis Bazire, chefe do BNP Paribas para a América Latina. "Houve uma decisão da matriz de explorar mais sua base brasileira."

Com a determinação do BNP Paribas de incrementar as operações da subsidiária, a totalidade do lucro da unidade vai ser reinvestida na própria operação. O banco encerrou 2013 com R$ 187,7 milhões de resultado, valor idêntico ao do ano anterior.

O resultado de 2013 mostrou que a expansão do crédito não foi suficiente para trazer maiores ganhos para o BNP Paribas. O banco viu a receita de prestação de serviços encolher 21,5%, para R$ 173,2 milhões. Também teve maiores despesas com provisão para contingências e fianças.

Para este ano, Bazire prevê que o avanço no crédito manterá o mesmo ritmo alcançado em 2013. Em meio a um cenário pouco animador para a atividade econômica neste ano, o executivo diz que o objetivo do BNP Paribas é conquistar fatias de mercado dos concorrentes.

A aposta na subsidiária brasileira chega em um momento em que o BNP Paribas teve de provisionar US$ 1,1 bilhão por conta de uma revisão de pagamentos a terceiros relacionados a sanções econômicas feitas pelos EUA. O lucro de 2013 do banco caiu 26%, para € 4,83 bilhões. Ao mesmo tempo, o BNP acelerou investimento e aquisições na Bélgica e na Polônia.
 

Notícias Relacionadas

Conferência Interestadual aprova eixos para Conferência Nacional de 2024

Sindicatos dos Bancários debateram propostas e aprovaram pautas em defesa do trabalhador. Documento será apresentado em Conferência Nacional para discussão na Campanha Salarial de 2024 Delegações de 21 regionais dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul se reuniram nesta quinta e sexta-feira, 11 e 12 de abril, para debater propostas que serão […]

Leia mais

Abertura da Conferência Interestadual da Feeb SP/MS conta com delegações de 21 regionais

  Primeiro dia de evento amplia visão sobre o futuro do Sistema Financeiro, Cenário Econômico Nacional e Avanço Tecnológico  A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) abriu nesta quinta-feira (11) a Conferência Interestadual dos Bancários de 2024. O tema central do evento deste ano é “Categoria […]

Leia mais

Proposta da Caixa para PcD é frustrante

Contudo, houve definição sobre pagamento dos deltas da promoção por mérito A proposta da Caixa Econômica Federal sobre redução de jornada e priorização de empregadas e empregados PcD, ou que tenham filhos de até seis anos com deficiência, frustrou a representação dos trabalhadores. “Na proposta do banco, somente há possibilidade de redução da jornada com […]

Leia mais

Sindicatos filiados