BNP Paribas cresce 17,9% no crédito no Brasil

24.03.2014

Por Carolina Mandl | De São Paulo Valor Econômico  Mais animado com o Brasil, o BNP Paribas acelerou no crédito ao longo do ano passado ao fechar mais operações para multinacionais europeias com presença no país. O estoque de empréstimos da subsidiária brasileira do maior banco da França encerrou 2013 em R$ 1,9 bilhão, com […]

Por Carolina Mandl | De São Paulo
Valor Econômico 

Mais animado com o Brasil, o BNP Paribas acelerou no crédito ao longo do ano passado ao fechar mais operações para multinacionais europeias com presença no país.

O estoque de empréstimos da subsidiária brasileira do maior banco da França encerrou 2013 em R$ 1,9 bilhão, com crescimento de 17,9% na comparação com o ano retrasado.

Essa cifra leva em consideração apenas as operações classificadas como crédito pelo Banco Central. Na média, os bancos de capital estrangeiro tiveram uma expansão de 9% no saldo de empréstimos no ano passado.

"Passamos de um modo passivo a um esforço ativo", diz Louis Bazire, chefe do BNP Paribas para a América Latina. "Houve uma decisão da matriz de explorar mais sua base brasileira."

Com a determinação do BNP Paribas de incrementar as operações da subsidiária, a totalidade do lucro da unidade vai ser reinvestida na própria operação. O banco encerrou 2013 com R$ 187,7 milhões de resultado, valor idêntico ao do ano anterior.

O resultado de 2013 mostrou que a expansão do crédito não foi suficiente para trazer maiores ganhos para o BNP Paribas. O banco viu a receita de prestação de serviços encolher 21,5%, para R$ 173,2 milhões. Também teve maiores despesas com provisão para contingências e fianças.

Para este ano, Bazire prevê que o avanço no crédito manterá o mesmo ritmo alcançado em 2013. Em meio a um cenário pouco animador para a atividade econômica neste ano, o executivo diz que o objetivo do BNP Paribas é conquistar fatias de mercado dos concorrentes.

A aposta na subsidiária brasileira chega em um momento em que o BNP Paribas teve de provisionar US$ 1,1 bilhão por conta de uma revisão de pagamentos a terceiros relacionados a sanções econômicas feitas pelos EUA. O lucro de 2013 do banco caiu 26%, para € 4,83 bilhões. Ao mesmo tempo, o BNP acelerou investimento e aquisições na Bélgica e na Polônia.
 

Notícias Relacionadas

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Campanha Nacional: Bancários definem temas das próximas negociações com os bancos

Demissão em massa pelo Mercantil do Brasil no Rio de Janeiro; abono do banco de horas negativas e retirada de pauta do PL 1043/2019, também foram pautas do primeiro dia de negociação O Comando Nacional dos Bancários definiu nesta quarta-feira (22), os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados