Cade inclui Sindicato dos Bancários no processo de compra do HSBC pelo Bradesco

10.12.2015

Sindicato pretende barrar a fusão ou, pelo menos, exigir a preservação dos empregos Jéssica Sant’Ana Especial para a Gazeta do Povo O Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região foi aceito como terceira parte interessada no processo que tramita no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e que avalia a compra do HSBC pelo Bradesco. […]

Sindicato pretende barrar a fusão ou, pelo menos, exigir a preservação dos empregos

Jéssica Sant’Ana Especial para a Gazeta do Povo

O Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região foi aceito como terceira parte interessada no processo que tramita no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e que avalia a compra do HSBC pelo Bradesco. Com a decisão publicada nesta segunda-feira (7), o sindicato poderá se manifestar durante o processo para incluir informações e dados que contribuam para a decisão do órgão regulador em aprovar ou não a aquisição.

O sindicato é contra a compra do HSBC pelo Bradesco. O advogado que defende a categoria em Curitiba, Ivens Henrique Hübert, afirma que o objetivo de participar do processo é barrar a fusão, “tendo em vista que ela é prejudicial para o trabalhador e para a eficiência global”.

Caso a argumentação principal não seja aceita, o sindicato exige a preservação dos empregos até o limite cabível. O HBSC possui cerca de 25 mil empregados diretos e indiretos no Brasil, sendo 7,1 mil somente em Curitiba e região, onde o banco britânico mantém suas sedes administrativas.

Até esta quarta-feira (9), o sindicato apresentará ao Cade os documentos que reforçam sua argumentação. A instituição que representa os trabalhadores poderá se manifestar também se observar atos que antecipem a fusão como, por exemplo, a unificação de agências. “O sindicato vai atuar como um fiscalizador do processo”, afirma Hübert.

O Cade continua avaliando o processo de compra do HSBC pelo Bradesco. A decisão deve sair até o fim do primeiro semestre de 2016.

Negócio

Em agosto deste ano, o HSBC fez o anúncio da venda de sua subsidiária brasileira ao Bradesco, pelo valor de US$ 5,2 bilhões (ou R$ 17,6 bilhões). A compra do HSBC foi a maior das 48 aquisições já feitas pelo Bradesco. O HSBC tem 5 milhões de clientes, sendo 1 milhão de alta renda, enquanto 76% das 851 agências do banco estão no Sul e Sudeste.

Com a aquisição, o Bradesco passa de 8,1 mil pontos de atendimento (agências e postos) para 9,4 mil, e encosta no Banco do Brasil no total de agências bancárias em funcionamento no país – 23,8%, contra 23,9% do BB.

Fonte: Gazeta do Povo
Foto: Antônio More/Gazeta do Povo
 

Notícias Relacionadas

CEBB negocia com o banco cláusulas econômicas e representação sindical

Ao término da negociação, bancários leram manifesto pela democracia Bancários do Banco do Brasil se reuniram nesta sexta-feira (12) com o banco para mais uma negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Banco do Brasil e do aditivo à […]

Leia mais

Federação dos Bancários orienta Sindicatos para realização de lives na próxima semana

Objetivo é promover o dialogo com a categoria e fortalecer pautas de luta na Campanha Nacional Conforme orientação do Comando Nacional, todo o movimento sindical deve dialogar com a categoria na próxima semana. A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, reforça o pedido para os seus 23 sindicatos filiados, para […]

Leia mais

Negociações entre COE Santander e banco avançam

Esforço dos sindicatos foi fundamental para o avanço de pautas especificas para mulheres Nesta sexta-feira (12), representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander se reuniu com o banco para dar continuidade às negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico […]

Leia mais

Sindicatos filiados