Caixa Federal e Mercantil do Brasil paralisam na região de Campinas

23.08.2013

Cinco agências da Caixa Federal em Campinas e Indaiatuba e três do Mercantil do Brasil em Campinas, Mogi Mirim e Mogi Guaçu paralisaram os serviços nesta quinta-feira (22), Dia Nacional de Luta da categoria, no período das 7h às 12h. As paralisações, coordenadas pelo Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, foram para protestar contra […]

Cinco agências da Caixa Federal em Campinas e Indaiatuba e três do Mercantil do Brasil em Campinas, Mogi Mirim e Mogi Guaçu paralisaram os serviços nesta quinta-feira (22), Dia Nacional de Luta da categoria, no período das 7h às 12h. As paralisações, coordenadas pelo Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, foram para protestar contra a postura intransigente da Fenaban e da Caixa Federal nas mesas de negociação da Campanha Nacional. Depois de duas rodadas nos dias 8,9, 15 e 16, a Fenaban negou todas as reivindicações sobre saúde, condições de trabalho, segurança e emprego. A mesma postura se repetiu na mesa específica com a Caixa Federal, nos dias 9 e 19 últimos.

No Mercantil do Brasil – uma agência fechada em Campinas, Mogi Mirim e Mogi Guaçu – a paralisação foi contra a intransigência da Fenaban e contra o reduzido valor da primeira parcela do programa de Participação nos Resultados (PPR). O Mercantil do Brasil lucrou R$ 14 milhões no primeiro semestre deste ano, impactado pelo aumento substancial do Provisionamento de Devedores Duvidosos, de R$ 92 milhões. O pífio lucro reduziu drasticamente o PPR.

Concentração no Largo do Rosário a partir das 16h

Hoje à tarde, a partir das 16h, o Sindicato realiza concentração no Largo do Rosário. A manifestação é para denunciar a intransigência da Fenaban na mesa de negociação e contra o Projeto de Lei (PL) 4330, que pode ser votado no próximo dia 3 de setembro. Na semana passada, pressionado pelas centrais sindicais, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados adiou a votação, que iria acontece no último dia 14. Com essa trégua, a Comissão Quadripartite (governo, parlamentares, empresários e trabalhadores), criado em julho último, voltou a se reunir. Até o momento, nenhum consenso.

O substitutivo do deputado Artur Maia (PMDB-BA) ao PL 4330/2004, de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), propõe regular a terceirização, legalizar o correspondente bancário, escancarar as portas para a precarização do trabalho no país todo.

Agências fechadas

Caixa Federal: Ouro Verde, João Jorge, Sousas, Moraes Sales e Indaiatuba.
Mercantil do Brasil: Campinas, Mogi Mirim e Mogi Guaçu.

Fonte: Jairo Gimenez – Seeb Campinas 

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados