Caixa Federal não reconhece necessidade de mais contratações

10.09.2014

A Caixa Federal não reconhece a necessidade de mais contratações, visando equacionar problemas nas unidades como, por exemplo, sobrecarga de trabalho. Os representantes da instituição pública informaram, durante a terceira rodada de negociação da pauta específica com o Comando Nacional dos Bancários, realizada ontem (8/09) em Brasília, que será mantida a metodologia que define o […]

A Caixa Federal não reconhece a necessidade de mais contratações, visando equacionar problemas nas unidades como, por exemplo, sobrecarga de trabalho. Os representantes da instituição pública informaram, durante a terceira rodada de negociação da pauta específica com o Comando Nacional dos Bancários, realizada ontem (8/09) em Brasília, que será mantida a metodologia que define o quantitativo de empregados para abertura de novas agências.

Em outros termos, as contratações vão continuar, mas seguindo o receituário estabelecido pelo Dest (Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais) que autorizou a Caixa Federal a atingir o contingente de 103 mil empregados até o final do ano desde que atrelado à abertura de novas unidades. “O Comando ponderou que ocorreu um aumento considerável na abertura de novas agências, mas as contratações não acompanharam o mesmo ritmo, resultando em excessivo volume de serviços que, consequentemente, prejudica o atendimento e agrava as condições de trabalho”, destaca o representante da Federação dos Bancários de SP e MS na mesa, Carlos Augusto Silva (Pipoca). Segundo ele, a Caixa Federal informou que em agosto passado o quadro de pessoal atingiu 99.969 empregados; neste mês de setembro deve atingir a marca de 100 mil empregados. A Caixa Federal tem, em média, 17 empregados por unidade.

Segurança: A Caixa Federal não concorda em instalar portas giratórias com detector de metais antes dos autoatendimentos. Quanto ao descumprimento da cláusula do aditivo que prevê a imediata abertura de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) em caso de assalto, a Caixa Federal assumiu compromisso em apurar as denúncias.

Terceirização: O Comando reivindicou o fim da terceirização e dos correspondentes bancários e habitacional. Os representantes da instituição pública defenderam a manutenção dos correspondentes.

Negociação: A quarta rodada será realizada no próximo dia 12, em Brasília. Na pauta, entre outros pontos, carreira e jornada/Sipon. 

Fonte: Fenae

Notícias Relacionadas

Proposta sobre Teletrabalho vai avançar

Reivindicações da categoria avançam nas negociações sobre trabalho remoto, mas Comando dos Bancários cobra agilidade na resposta sobre a proposta global A proposta da categoria bancária para o trabalho remoto avançou nas negociações realizadas na tarde desta quinta-feira (11) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). “Tivemos evolução no Teletrabalho que se torna cláusula da […]

Leia mais

Caixa se nega a criar GT para discutir contencioso da Funcef

Banco avalia que o tema já é tratado pela própria fundação de previdência dos trabalhadores Em reunião de negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, realizada nesta quarta-feira (10), com a Comissão Executiva dos Empregados (CEE), a Caixa Econômica Federação se negou a atender a reivindicação para que seja criado um grupo de trabalho (GT) […]

Leia mais

Atos pela democracia ocorrem em todo o País e reafirmam o compromisso contra o autoritarismo

Data de 11 de agosto marca a leitura de um manifesto contra ditadura militar em 1977 Brasileiros de inúmeras regiões do País realizaram nesta quinta-feira (11), atos em defesa do estado democrático de direito. Milhares de entidades representativas foram às ruas manifestar a defesa pela garantia da democracia e do sistema eleitoral eletrônico. A data […]

Leia mais

Sindicatos filiados