Caixa recebe mais de R$ 1 mi em prêmios do Corinthians por contrato, diz jornal

12.01.2016

O jornal O Estado de S. Paulo divulgou nesta segunda-feira uma lista de benefícios dados pelo Corinthians à Caixa Econômica Federal, patrocinadora máster do clube, que paga R$ 30 milhões por ano pelo maior espaço na camisa. De acordo com o jornal, mais de R$ 1 milhão em "prêmios" são distribuídos pelo alvinegro ao banco. […]

O jornal O Estado de S. Paulo divulgou nesta segunda-feira uma lista de benefícios dados pelo Corinthians à Caixa Econômica Federal, patrocinadora máster do clube, que paga R$ 30 milhões por ano pelo maior espaço na camisa. De acordo com o jornal, mais de R$ 1 milhão em "prêmios" são distribuídos pelo alvinegro ao banco.

 Por mês, o clube cede 150 camisas à Caixa (cada camisa custa R$ 250,00, ou seja, R$ 37,5 mil por mês) além de 80 ingressos por partida como mandante (foram 35 jogos em casa em 2015, o que significa 2,8 entradas gratuitas ou R$ 504 mil a menos na conta do clube, já que cada ingresso da cadeira numerada custou R$ 180).

 Apesar do contrato ser confidencial, o jornal obteve a cópia com base na Lei de Acesso à Informação. Mesmo assim, a CEF tentou proibir a divulgação por alegar que o contrato é sigiloso e revela a estratégia de marketing do banco com o clube.

 A Controladoria Geral da União, porém, obrigou a Caixa a liberar a cópia do contrato. Gustavo Herbetta, superintendente de marketing do Corinthians, alegou que os benefícios são "praxe do mercado".

 Além do alvinegro paulista, a Caixa, em 2015, estampou sua marca em mais 11 clubes: Flamengo, Figueirense,

Chapecoense, Vasco, Atlético-PR, Coritiba, Sport, Vitória, CRB, Atlético-GO e América-RN, tornando-se assim a maior patrocinadora do futebol brasileiro.

 No contrato com o Corinthians, o mais caro, o banco tem permissão para utilizar as dependências do Parque São Jorge em duas datas, além de de clientes do banco poderem visitar os jogadores depois dos jogos e também no centro de treinamento. Fora isso, é proibido falar mal do banco entre todos do clube. Se for descumprido, o contrato pode até ser rescindido e o clube terá de pagar R$ 6 milhões ao banco, isto é, 20% do valor do acordo.

Fonte: iG
 

Notícias Relacionadas

Feeb SP/MS participa de 51º Encontro Nacional CONTEC

Evento em Uberlândia debateu temas de interesse da categoria bancária e aprovou pautas de reivindicações para a Campanha Nacional dos Bancários. A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, representada por seus sindicatos filiados, marcou presença no 51º Encontro Nacional Contec, realizado nos dias 20 e 21 de junho, […]

Leia mais

Trabalhadores do Itaú entregam pauta específica de reivindicações no dia 25

Documento é resultado do encontro nacional, realizado em São Paulo, no dia 6 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai entregar a minuta específica de reivindicações ao Itaú na próxima terça-feira (25). O documento servirá de base para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco. As reivindicações foram […]

Leia mais

Intransigência da Caixa encerra negociações sobre redução de jornada para pais/mães e responsáveis por PcD e neurodivergentes (TEA)

Banco retira da proposta a concessão para empregados PcD, impõe uma série de travas para permitir a redução da jornada para pais/mães/responsáveis de PcD e encerra mesa de negociações após receber questionamentos sobre pontos sensíveis da proposta A reunião que negociaria a redução de jornada para empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal com deficiência […]

Leia mais

Sindicatos filiados