Cassi admite rombo de R$ 366 milhões

16.11.2022

Diretoria apresenta proposta que onera somente associados Na última segunda-feira (14), diretores e representantes de conselhos da Cassi convocaram o movimento sindical e entidades representam os associados (Anabb, Aafbb e Faabb) para uma reunião onde admitiram um déficit de R$ 366 milhões no Plano Associados. A convocação foi vista pelos representantes dos associados como intempestiva […]

Diretoria apresenta proposta que onera somente associados

Na última segunda-feira (14), diretores e representantes de conselhos da Cassi convocaram o movimento sindical e entidades representam os associados (Anabb, Aafbb e Faabb) para uma reunião onde admitiram um déficit de R$ 366 milhões no Plano Associados.

A convocação foi vista pelos representantes dos associados como intempestiva e desrespeitosa.

Durante a reunião, entre os problemas relatados pela representação dos funcionários está a postura inadequada que a Cassi vem adotando na tentativa de assumir o papel da Comissão de Empresa, que representa os associados na entidade de assistência dos funcionários do BB. Na sequência, os representantes destacaram a questão do déficit do Plano Associados, denunciado inúmeras vezes pela comissão e finalmente assumido pela Cassi.

De acordo com David Zaia, presidente da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul e representante da CEBB, a proposta não atende às expectativas da categoria e é preciso dialogar. “É preciso avançar nos diálogos. A proposta trazida só onera os associados com o aumento de uma  coparticipação que pode chegar a 50%. O banco por sua vez não arcaria com nada”, explica David.

Antes da reunião com as entidades, a decisão pelo aumento da coparticipação foi debatida em uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo. A reunião convocada foi vista como uma tentativa para que as entidades que representam os trabalhadores homologassem. “A proposta não foi aceita porque entendemos que ela fere os direitos do trabalhador. É uma situação complexa de ser solucionada, mas para ser aceita precisa fazer sentido para ambas as partes”, defende Zaia.

Propostas

Os representantes da CEBB reforçaram que a negativa ao programa de contingenciamento colocado na mesa pela direção da Cassi, se deu por onerar única e exclusivamente os associados. Outras propostas das entidades foram destacadas, como o retorno da taxa administrativa, já acordada na Reforma Estatutária; recursos de decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) sobre ressarcimento de ações trabalhistas, onde parte que é devida pelo banco seria direcionada à Cassi; e por fim, o BB, como patrocinador, assumindo as despesas que a Cassi teve no combate à Covid-19.

De acordo com a CEBB, as propostas já foram aceitas e reconhecidas pelo banco, mas até o momento a Cassi não cobrou.

Estratégia Saúde da Família

Com a Reforma Estatutária de 2018/2019, a Cassi assumiu o compromisso de ampliar a Estratégia Saúde da Família (ESF), mas nunca foi apresentado relatório a respeito do compromisso. Durante a reunião foi mencionado que existem 240 mil famílias na ESF. O presidente da Cassi apresentou como meta o crescimento para 600 mil em apenas seis meses.

 

 

Notícias Relacionadas

Dia Mundial de Combate à Aids

O dia 1º de dezembro é o Dia Mundial  de Combate à Aids. A data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde e é celebrada anualmente desde 1988 no Brasil, um ano após a Assembleia Mundial de Saúde que fixou a data de comemoração. O objetivo da data é conscientizar as pessoas para o problema, acabar […]

Leia mais

Caixa propõe usar GDP na Promoção por Mérito

Na terceira rodada de negociação, Caixa rejeita proposta apresentada pelos representantes dos empregados e insiste na utilização da GDP O Grupo de Trabalho (GT) sobre Promoção por Mérito na Caixa Federal se reuniu ontem (29) com representantes do banco para a terceira reunião sobre o tema. A primeira ocorreu no último dia 10 e a […]

Leia mais

Vitória da Categoria: PL 1043 é retirado da pauta de votação

Projeto de Lei que autoriza a abertura das agências e o trabalho bancário aos sábados, domingos e feriados foi retirado da pauta de votação na CDC da Câmara dos Deputados; pressão da categoria foi fundamental O Projeto de Lei 1.043/2019, que autoriza a abertura de agências e o trabalho bancário aos sábados domingos e feriados foi […]

Leia mais

Sindicatos filiados