Citigroup tem lucro de US$ 1,2 bi no quarto trimestre, avanço de 25%

17.01.2013

SÃO PAULO – O lucro do Citigroup no quarto trimestre aumentou mais de 25% na comparação com o mesmo período de 2011, apesar de o banco ainda enfrentar problemas em hipotecas derivados da crise financeira. O Citi passa por grandes mudanças sob a nova liderança de Michael Corbat, que sucedeu Vikram Pandit em outubro. O […]

SÃO PAULO – O lucro do Citigroup no quarto trimestre aumentou mais de 25% na comparação com o mesmo período de 2011, apesar de o banco ainda enfrentar problemas em hipotecas derivados da crise financeira. O Citi passa por grandes mudanças sob a nova liderança de Michael Corbat, que sucedeu Vikram Pandit em outubro.

O lucro trimestral subiu para US$ 1,2 bilhão, ante US$ 956 milhões um ano antes. As receitas cresceram 8,7%, para US$ 18,7 bilhões.

Os resultados mostraram avanços conquistados pelo banco ao se expandir internacionalmente.

A sua divisão de mercado de capitais se recuperou de uma perda de US$ 134 milhões no quarto trimestre de 2011, ao registrar lucro de US$ 629 milhões. O lucro líquido na área de varejo global aumentou 2,3%, para US$ 1,8 bilhão.

As receitas cresceram nas duas divisões em comparação com o ano anterior, e a margem financeira de suas operações aumentou, apesar dos juros menores.

No quarto trimestre, os resultados do banco foram influenciados mais uma vez por uma série de encargos — alguns esperados, outros não. Uma surpresa foi o registro de US$ 1,3 bilhão em encargos legais. A quantia incluiu uma cifra anteriormente anunciada de US$ 305 milhões, relacionada a um acordo entre os grandes bancos e entidades reguladoras por questionamentos sobre execução de hipotecas.

Além disso, o banco teve que reduzir o valor contábil de sua própria dívida em US$ 485 milhões, e contabilizou despesas de US$ 1 bilhão por mais de 11 mil demissões anunciadas no fim do ano passado.

O Citi considera que seu ganho operacional por ação foi de US$ 0,69, sendo que analistas esperavam US$ 0,96. Não está claro como os encargos do quarto trimestre impactaram as análises prévias de analistas.

No último mês, Corbat enfatizou planos de corte empregos, fechou 84 agências e recuou no segmento de banco de varejo em diversos países, para reduzir os custos em US$ 900 milhões este ano e em US$ 1,1 bilhão em 2014.

(Dow Jones Newswires)

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados