Citigroup tem lucro líquido de US$ 3,2 bilhões no 3º trimestre

15.10.2013

SÃO PAULO – O Citigroup divulgou nesta terça-feira o resultado do terceiro trimestre deste ano. No período, o banco registrou um lucro líquido de US$ 3,2 bilhões e receitas de US$ 17,9 bilhões. O resultado chega bem maior daquele realizado no mesmo período de 2012. Há um ano atrás, o banco anunciava um lucro líquido […]

SÃO PAULO – O Citigroup divulgou nesta terça-feira o resultado do terceiro trimestre deste ano. No período, o banco registrou um lucro líquido de US$ 3,2 bilhões e receitas de US$ 17,9 bilhões.

O resultado chega bem maior daquele realizado no mesmo período de 2012. Há um ano atrás, o banco anunciava um lucro líquido de US$ 468 milhões e receita de US$ 13,7 bilhões no terceiro trimestre. As receitas do Citigroup de julho a setembro de 2013 representam um aumento de 30% sobre o mesmo período do ano passado. Em relação ao 2º trimestre de 2013, quando o Citigroup obteve ganhos de US$ 4,18 bilhões, houve uma queda de 23% no lucro líquido.

Apesar do salto no lucro líquido na comparação com um ano antes, o ganho se mantém em linha com o resultado do 3º trimestre de 2012. Isso porque, excluindo os itens extraordinários, o lucro líquido registrado pela instituição um ano antes alcançou US$ 3,3 bilhões. Na ocasião, entre as despesas extraordinárias, o banco deu como perdidos US$ 4,7 bilhões após concordar em vender sua participação na corretora Morgan Stanley Smith Barney por menos do que esperava.

O Citi é o segundo banco a divulgar os resultados do terceiro trimestre. Na sexta-feira, o J.P. Morgan inaugurou a temporada de balanços de grandes bancos nos Estados Unidos ao anunciar um prejuízo de US$ 380 milhões. As despesas com litígios antes dos impostos contribuíram fortemente para o resultado negativo, ao alcançarem US$ 9,15 bilhões.

Em comunicado à imprensa o presidente do Citi, Michael Corbat, afirmou: “Desempenhamos relativamente bem nesse desafiante ambiente macroeconômico. Enquanto muitos dos fatores que influenciaram nossas receitas não estavam sob nosso controle, nós certamente podemos controlar nossos custos. E estou satisfeito com nossa disciplina de custos e quanto à melhora de nossa eficiência”.

Fonte: Valor Econômico

Notícias Relacionadas

Eleições Economus – Ainda dá tempo de votar!

Passamos da metade do período do pleito, que vai eleger dois membros ao conselho deliberativo e um membro ao conselho fiscal do Economus. Até esta sexta-feira (19), 28% dos eleitores haviam exercido o direito ao voto. A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB SP/MS) e seus sindicatos […]

Leia mais

Banco do Brasil aprova atualização da Tabela PIP para beneficiar trabalhadores do Previ Futuro

Mudança na Pontuação Individual do Participante permite aumento na contribuição adicional e soma mais recursos para a aposentadoria, atendendo a antiga reivindicação dos funcionários O Banco do Brasil aprovou as mudanças na Tabela PIP (Pontuação Individual do Participante), uma reivindicação antiga dos trabalhadores, que permitirá aumentar a contribuição adicional para a aposentadoria. O anúncio foi […]

Leia mais

Eleições da Funcef: votação segue até sexta-feira (19)

Participantes da ativa e assistidos dos planos de previdência podem votar até sexta-feira (19), mas a orientação é não deixar para a última hora Teve início nesta terça-feira (16), a votação para as Eleições Funcef. Participantes dos planos de previdência da Funcef podem votar para definir quem vai ocupar a diretoria de Administração e Controladoria, […]

Leia mais

Sindicatos filiados