COE e Bradesco negociam retorno ao trabalho presencial

17.05.2022

Banco concorda com a prorrogação e retorno se dará no dia 06 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco se reuniu com a direção do banco nesta terça-feira (17) para debater o retorno ao trabalho presencial. No dia 22 de abril, o Ministério da Saúde publicou portaria que encerra oficialmente a […]

Banco concorda com a prorrogação e retorno se dará no dia 06 de junho

A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco se reuniu com a direção do banco nesta terça-feira (17) para debater o retorno ao trabalho presencial.

No dia 22 de abril, o Ministério da Saúde publicou portaria que encerra oficialmente a Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin) em decorrência da Covid-19. Em edição extra do Diário Oficial da União foi publicado que a mesma passa a valer depois de 30 dias para adequação dos governos federal, estaduais e municipais.

Com a decisão, a cláusula do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) de trabalho remoto, que está vinculada à Espin, deixa de existir, e todos os trabalhadores devem voltar ao trabalho presencial. A Coe negociou com o banco formas de redução do impacto da convocação dos trabalhadores ao retorno presencial, inclusive os do grupo de risco.

Para isso, a representação dos trabalhadores pediu a prorrogação do prazo de retorno deste grupo, marcado para o dia 23 de maio. O objetivo é dar mais tempo para que os mesmos se organizem. O banco concordou e o retorno se dará no dia 06 de junho 2022.

Foi pedido também pela representação dos trabalhadores a avaliação e possibilidade de manter em home office o grupo de risco grave e pessoas com comorbidades. Em resposta, o banco informou que a equipe de saúde irá analisar pontualmente os casos.

O banco informou, ainda, que não haverá mais paralisação e fechamento das agências, em caso de testagens positivas para a Covid-19. Já a limpeza permanecerá sendo feita com produtos sanitizantes. Com relação aos trabalhadores com suspeita de contaminação pelo coronavírus, o banco informou que os mesmos devem procurar atendimento médico e manter afastamento pelo período recomendado.

Teletrabalho

Com o fim da validade da Espin e o cancelamento do ACT de trabalho remoto, passa a valer automaticamente o Acordo de Teletrabalho, aprovado em assembleias realizadas pelos sindicatos de todo o Brasil em setembro de 2020.

Os funcionários elegíveis devem ser convidados pelos seus gestores a partir da próxima segunda-feira (23) para iniciar na nova modalidade. “Será necessária a anuência do funcionário. Para isso, o banco comunicará ao sindicato os setores que serão elegíveis ao Teletrabalho”, explica o representante da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Lourival Rodrigues.

Com relação ao uso de máscaras, o banco informou que irá manter as recomendações de segurança, porém sem a obrigatoriedade de utilização para os funcionários nas agências.

Atendimentos

Durante a reunião também foi ressaltado que o banco promove até o próximo dia 20, a chamada autenticação zero nos caixas, que direcionará todo o atendimento para caixas automáticos, aplicativos e net empresa. A representação do banco reforçou o futuro da instituição com apontamento para o comercial e a evolução digital.

Cipa

Com os mandatos dos cipeiros prorrogados na pandemia e diante das novas decisões, a Coe questionou o cronograma das eleições. O banco informou que novas eleições serão feitas após 90 dias do término da pandemia.

Notícias Relacionadas

Trabalhadores do Itaú entregam pauta específica de reivindicações no dia 25

Documento é resultado do encontro nacional, realizado em São Paulo, no dia 6 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai entregar a minuta específica de reivindicações ao Itaú na próxima terça-feira (25). O documento servirá de base para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco. As reivindicações foram […]

Leia mais

Intransigência da Caixa encerra negociações sobre redução de jornada para pais/mães e responsáveis por PcD e neurodivergentes (TEA)

Banco retira da proposta a concessão para empregados PcD, impõe uma série de travas para permitir a redução da jornada para pais/mães/responsáveis de PcD e encerra mesa de negociações após receber questionamentos sobre pontos sensíveis da proposta A reunião que negociaria a redução de jornada para empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal com deficiência […]

Leia mais

Caixa afirma que contencioso é insignificante, mas dados disponíveis demonstram o oposto

Fonte: APCEF/SP com informações da Fenae Em uma live realizada nesta terça-feira (18), a Funcef (Fundação dos Economiários Federais) e a Caixa anunciaram que estão abordando o contencioso trabalhista. Segundo Leonardo Groba, diretor jurídico da Caixa, o contencioso atual estaria estimado em cerca de R$ 500 milhões, “não tem grandes proporções, mas a Caixa possui […]

Leia mais

Sindicatos filiados