COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

01.03.2024

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quarta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve 

A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quarta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários.

Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos programas de remuneração. Uma das mudanças notáveis foi no Programa Decola, que agora abrange apenas uma parte dos funcionários, incluindo agentes de negócio caixa e líderes de tesouraria, e passa a ser pago trimestralmente.

Além disso, o Programa GERA foi discutido com duas modalidades distintas. O GERA Trimestral teve mudanças significativas, passando de avaliações e pagamentos mensais para trimestrais, enquanto o GERA Semestral conta com oito índices de avaliação e é pago na mesma data da Participação nos Lucros e Resultado (PLR), optando sempre pelo valor maior entre os dois.

Representantes da COE enfatizaram a importância de melhorar a remuneração dos funcionários, questões relacionadas às metas inatingíveis e à modificação das metas durante o período de vigência e pontuaram, também, a necessidade de negociação com o movimento sindical.

O banco Itaú se comprometeu a enviar a apresentação completa dos programas para todos os sindicatos, e uma reunião está agendada para o próximo dia 2 de abril, onde o movimento sindical apresentará uma contraproposta com a anuência de suas bases.

O objetivo da COE , com a retomada da mesa, é apresentar  propostas e apontar as dificuldades que os bancários e bancárias estão enfrentando.

Walmir Gomes, representante da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS), participou da reunião e enfatizou a importância de garantir que as metas estabelecidas sejam realistas e alcançáveis para os trabalhadores bancários. “É fundamental que haja transparência e diálogo contínuo entre o banco e o movimento sindical para assegurar uma remuneração justa e condizente com o esforço e dedicação dos funcionários”, destaca Walmir.

Notícias Relacionadas

Eleições Economus – Ainda dá tempo de votar!

Passamos da metade do período do pleito, que vai eleger dois membros ao conselho deliberativo e um membro ao conselho fiscal do Economus. Até esta sexta-feira (19), 28% dos eleitores haviam exercido o direito ao voto. A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB SP/MS) e seus sindicatos […]

Leia mais

Banco do Brasil aprova atualização da Tabela PIP para beneficiar trabalhadores do Previ Futuro

Mudança na Pontuação Individual do Participante permite aumento na contribuição adicional e soma mais recursos para a aposentadoria, atendendo a antiga reivindicação dos funcionários O Banco do Brasil aprovou as mudanças na Tabela PIP (Pontuação Individual do Participante), uma reivindicação antiga dos trabalhadores, que permitirá aumentar a contribuição adicional para a aposentadoria. O anúncio foi […]

Leia mais

Eleições da Funcef: votação segue até sexta-feira (19)

Participantes da ativa e assistidos dos planos de previdência podem votar até sexta-feira (19), mas a orientação é não deixar para a última hora Teve início nesta terça-feira (16), a votação para as Eleições Funcef. Participantes dos planos de previdência da Funcef podem votar para definir quem vai ocupar a diretoria de Administração e Controladoria, […]

Leia mais

Sindicatos filiados