COEs do Bradesco e HSBC definem garantia de emprego e isonomia como prioridades

07.08.2015

As Comissões de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco e HSBC se reuniram na última quarta-feira (5) na sede da Contraf-CUT, em São Paulo, para discutir os impactos da venda do HSBC para o Bradesco e a mobilização da categoria. Após amplo debate, os integrantes das COEs definiram estratégias de luta e pauta unificada; entre […]

As Comissões de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco e HSBC se reuniram na última quarta-feira (5) na sede da Contraf-CUT, em São Paulo, para discutir os impactos da venda do HSBC para o Bradesco e a mobilização da categoria. Após amplo debate, os integrantes das COEs definiram estratégias de luta e pauta unificada; entre as prioridades, manutenção dos empregos e isonomia de direitos. “A primeira tarefa das COEs será o mapeamento dos direitos em cada instituição. O HSBC, por exemplo, paga bolsa de estudo e plano de saúde. O que não acontece no Bradesco; onde inexiste o auxílio-educação e prevalece o seguro saúde. Diante desse quadro, a isonomia de direitos, sem dúvida, é uma das prioridades”, destaca Lourival Rodrigues, representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) na COE Bradesco. Segundo Danilo Anderson, integrante da COE HSBC, os dois Bancos devem se reunir com as COEs em breve. “O Bradesco e o HSBC vão explicitar a operação de venda, nos moldes da reunião realizada na terça-feira (4), com quatro entidades sindicais”.

Bancos negam demissões em massa

HSBC só deixará o comando do banco em janeiro de 2016

O Bradesco e o HSBC negaram na terça-feira (4) demissões em massa, durante reunião com entidades sindicais. Solicitada pelas entidades, a reunião tratou da manutenção dos empregos, após o anúncio da compra do HSBC pelo Bradesco, na segunda-feira (3). Ao relatar detalhes da operação de venda do HSBC, os representantes dos dois Bancos informaram que o comando das operações só será transferido totalmente em janeiro de 2016.

O Bradesco e o HSBC assumiram compromisso em manter o diálogo com os representantes dos bancários, inclusive nesse período de aprovação da venda pelos órgãos responsáveis, que pode durar até seis meses.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Campinas e Região

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados