Com greve dos vigilantes, bancos não abrem pelo 3º dia em Corumbá

05.02.2013

  Somente caixas eletrônicos dos bancos estão funcionando A rede bancária de Corumbá – incluindo agências públicas e privadas – não abriu nesta terça-feira (5) por conta da greve dos Vigilantes. Segundo o Sindicato da categoria, está marcada para às 15 horas de hoje, uma audiência para discutir as reivindicações. A categoria cobra das empresas […]

  Somente caixas eletrônicos dos bancos estão funcionando
A rede bancária de Corumbá – incluindo agências públicas e privadas – não abriu nesta terça-feira (5) por conta da greve dos Vigilantes. Segundo o Sindicato da categoria, está marcada para às 15 horas de hoje, uma audiência para discutir as reivindicações.

A categoria cobra das empresas de segurança, a aplicação imediata da lei nº 12.740/2012, sancionada em 10 de dezembro pela presidente Dilma Rousseff garantindo o pagamento do adicional de periculosidade de 30% para todos os vigilantes patrimoniais.

O adicional de 30% deve ser pago sobre o valor do salário-base dos vigilantes, que em Mato Grosso do Sul é de R$ 847 registrado em carteira. A lei alterou a redação do artigo 193 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que regulamentava a concessão desse adicional apenas aos profissionais que exercem atividades em contato com inflamáveis, explosivos e energia elétrica. No Estado são 7,5 mil profissionais.

A mobilização começou na sexta-feira (1º), quando os bancos também não funcionaram. Hoje é o terceiro dia útil sem funcionamento dos bancos. Em Corumbá, o Sindicato dos Vigilantes tem cerca de 400 associados parados.

Sem atendimento, o serviço bancário se restringe aos caixas eletrônicos de cada agência. Os Correios, lotéricas e postos expressos também estão atendendo e sofrendo uma sobrecarga de clientes.

Fonte: Diário Corumbaense
Foto: Anderson Gallo/Diário

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados