Dia de luta em Campo Grande é marcado pela mobilização dos bancários

09.10.2020

O Dia Nacional de Luta em Campo Grande (MS) acontece sob chuva e é marcado pela força de vontade e mobilização dos bancários. Os dirigentes do SEEB CG/MS e Região não se intimidaram com o tempo chuvoso e nesta tarde visitam as agências bancárias da capital para dialogar com a categoria.   O secretário de […]

O Dia Nacional de Luta em Campo Grande (MS) acontece sob chuva e é marcado pela força de vontade e mobilização dos bancários. Os dirigentes do SEEB CG/MS e Região não se intimidaram com o tempo chuvoso e nesta tarde visitam as agências bancárias da capital para dialogar com a categoria.
 
O secretário de imprensa, Vanderlei da Silveira Pinto, explica que o contato direto é uma estratégia eficaz para sensibilizar os bancários. “Conversamos com os trabalhadores, alertando-os sobre o descaso dos banqueiros nas rodadas de negociação, convocando todos à participação. Ressaltamos que a união é essencial para o fortalecimento da Campanha Nacional 2010, tanto para assegurar os benefícios que já conquistamos, quanto para garantir novas vitórias”, relata o secretário.  
Os sindicalistas distribuem uma carta aberta que destaca as principais reivindicações do próximo tema de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban: Remuneração. A categoria exige um reajuste de 11%, melhoria da PLR e a valorização dos pisos.  
 
O Dia Nacional de Luta foi proposto pelo Comando Nacional dos Bancários. Um dos principais objetivos é pressionar os banqueiros para que atendam as reivindicações. Os patrões têm demonstrado intransigência e descaso nas mesas de negociação, por isso, os bancários já analisam uma possível greve.
  
Descaso
 
Em entrevista recente, especificamente no dia 11/09, no jornal O Globo, o diretor de Relações de Trabalho da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), Magnus Apostólico, disse que atender à reivindicação do percentual de 11% seria inviável, tendo em vista que a inflação do país gira em torno de 4%. O presidente do SEEB CG/Me Região, também integrante do Comando Nacional, Clementino Pereira, diz que o depoimento do diretor só evidência o egoísmo dos banqueiros.
 “Apesar de obterem lucros gigantescos que passa de 21 bilhões ( somado entre as cinco maiores empresas) os banqueiros simplesmente não valorizam os seus principais colaboradores, os bancários, demonstrando total falta de interesse em oferecer o reajuste reivindicado. Ao escutar depoimentos como esses, concedidos por Apostólico, fica claro que devemos realizar intensas mobilizações, os banqueiros precisam valorizar os bancários. Sem o nosso trabalho eles não alcançariam resultados tão promissores. Nós podemos mudar o atual cenário das negociações através da união. Juntos, demonstraremos a força que o trabalhador possui”, destaca Clementino.

Fonte: Adriana Miceli – SEEB CG/MS
 

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados