Dia de luta em Campo Grande é marcado pela mobilização dos bancários

09.10.2020

O Dia Nacional de Luta em Campo Grande (MS) acontece sob chuva e é marcado pela força de vontade e mobilização dos bancários. Os dirigentes do SEEB CG/MS e Região não se intimidaram com o tempo chuvoso e nesta tarde visitam as agências bancárias da capital para dialogar com a categoria.   O secretário de […]

O Dia Nacional de Luta em Campo Grande (MS) acontece sob chuva e é marcado pela força de vontade e mobilização dos bancários. Os dirigentes do SEEB CG/MS e Região não se intimidaram com o tempo chuvoso e nesta tarde visitam as agências bancárias da capital para dialogar com a categoria.
 
O secretário de imprensa, Vanderlei da Silveira Pinto, explica que o contato direto é uma estratégia eficaz para sensibilizar os bancários. “Conversamos com os trabalhadores, alertando-os sobre o descaso dos banqueiros nas rodadas de negociação, convocando todos à participação. Ressaltamos que a união é essencial para o fortalecimento da Campanha Nacional 2010, tanto para assegurar os benefícios que já conquistamos, quanto para garantir novas vitórias”, relata o secretário.  
Os sindicalistas distribuem uma carta aberta que destaca as principais reivindicações do próximo tema de negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban: Remuneração. A categoria exige um reajuste de 11%, melhoria da PLR e a valorização dos pisos.  
 
O Dia Nacional de Luta foi proposto pelo Comando Nacional dos Bancários. Um dos principais objetivos é pressionar os banqueiros para que atendam as reivindicações. Os patrões têm demonstrado intransigência e descaso nas mesas de negociação, por isso, os bancários já analisam uma possível greve.
  
Descaso
 
Em entrevista recente, especificamente no dia 11/09, no jornal O Globo, o diretor de Relações de Trabalho da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), Magnus Apostólico, disse que atender à reivindicação do percentual de 11% seria inviável, tendo em vista que a inflação do país gira em torno de 4%. O presidente do SEEB CG/Me Região, também integrante do Comando Nacional, Clementino Pereira, diz que o depoimento do diretor só evidência o egoísmo dos banqueiros.
 “Apesar de obterem lucros gigantescos que passa de 21 bilhões ( somado entre as cinco maiores empresas) os banqueiros simplesmente não valorizam os seus principais colaboradores, os bancários, demonstrando total falta de interesse em oferecer o reajuste reivindicado. Ao escutar depoimentos como esses, concedidos por Apostólico, fica claro que devemos realizar intensas mobilizações, os banqueiros precisam valorizar os bancários. Sem o nosso trabalho eles não alcançariam resultados tão promissores. Nós podemos mudar o atual cenário das negociações através da união. Juntos, demonstraremos a força que o trabalhador possui”, destaca Clementino.

Fonte: Adriana Miceli – SEEB CG/MS
 

Notícias Relacionadas

Dia Mundial de Combate à Aids

O dia 1º de dezembro é o Dia Mundial  de Combate à Aids. A data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde e é celebrada anualmente desde 1988 no Brasil, um ano após a Assembleia Mundial de Saúde que fixou a data de comemoração. O objetivo da data é conscientizar as pessoas para o problema, acabar […]

Leia mais

Caixa propõe usar GDP na Promoção por Mérito

Na terceira rodada de negociação, Caixa rejeita proposta apresentada pelos representantes dos empregados e insiste na utilização da GDP O Grupo de Trabalho (GT) sobre Promoção por Mérito na Caixa Federal se reuniu ontem (29) com representantes do banco para a terceira reunião sobre o tema. A primeira ocorreu no último dia 10 e a […]

Leia mais

Vitória da Categoria: PL 1043 é retirado da pauta de votação

Projeto de Lei que autoriza a abertura das agências e o trabalho bancário aos sábados, domingos e feriados foi retirado da pauta de votação na CDC da Câmara dos Deputados; pressão da categoria foi fundamental O Projeto de Lei 1.043/2019, que autoriza a abertura de agências e o trabalho bancário aos sábados domingos e feriados foi […]

Leia mais

Sindicatos filiados