Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente e Doenças do Trabalho

28.04.2022

Por Gustavo Frias, SEEB Campinas   O dia 28 de abril é lembrado como o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente e Doenças do Trabalho. A data foi criada em 2003 pela OIT em memória às vítimas da explosão de uma mina na Virgínia (Estados Unidos), que matou 78 mineiros. Portanto, não é […]

Por Gustavo Frias, SEEB Campinas  

O dia 28 de abril é lembrado como o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidente e Doenças do Trabalho. A data foi criada em 2003 pela OIT em memória às vítimas da explosão de uma mina na Virgínia (Estados Unidos), que matou 78 mineiros. Portanto, não é uma data comemorativa, mas um momento de reflexão sobre as condições de trabalho. Segundo dados da OIT, o Brasil ocupa o quarto lugar em mortes relacionadas com o trabalho no mundo.

Para marcar esse dia, o movimento sindical, por meio da CONTRAF, realizou o Seminário: Adoecimento Psíquico No Trabalho Bancário. O evento contou com a participação de mais de 100 dirigentes sindicais, além da presença de profissionais da área da psicologia, que abordaram temas bastantes sensíveis para a categoria, como o suicídio e a Síndrome de Burnout.

Importante destacar que a partir dos anos 90 começou a se avolumar o adoecimento mental na categoria bancária. A reestruturação produtiva realizada por meio da cobrança de metas na venda de produtos potencializou os adoecimentos por depressão e síndrome de burnout nos bancários. A gravidade chegou a tal ponto que levou trabalhadores ao suicídio. Ao contrário da causalidade individual e patológica, os pesquisadores consideram esse assunto uma questão de saúde pública, pois ao olharmos os números globais de suicídio, o modelo individual e patológico não é suficiente para aceitarmos e entendermos a natureza do problema que estamos enfrentando e a partir daí desenvolver iniciativas concretas de prevenção.

Em relação ao aumento dos casos de síndrome de burnout na categoria, é urgente conscientizar e combater a desumanização do trabalho através da naturalização de ações que não são corretas como o assédio moral praticado com estratégias de isolamento, discriminação e humilhação aos trabalhadores.

São questões muito graves e nesse dia 28 de abril é importante que todos olhem com atenção, afinal, a proteção à vida e à saúde é um direito e também uma luta de todos nós.

Gustavo Frias é diretor do Sindicato dos Bancários de Campinas e representa a Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul no Coletivo Nacional de Saúde e na mesa temática de Saúde.

Notícias Relacionadas

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Feeb SP/MS monta grupo de trabalho para discutir metas com Banco Itaú

Prazo para organização de grupos de representação se encerrou no último dia 31 Bancários representados pela Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul formalizaram o pedido junto ao banco para montagem de um grupo de trabalho para discussão de metas. De acordo com a cláusula 87 da Convenção Coletiva […]

Leia mais

Sindicatos filiados