Diretoria da FEEB-SP/MS participa do Seminário da UGT em homenagem ao Dia Internacional dos Trabalhadores

24.04.2017

Nesta segunda-feira, 24, membros da diretoria da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) prestigiaram o IV Seminário 1º de maio – Dia Internacional dos Trabalhadores, da União Geral dos Trabalhadores (UGT), que este ano teve como mote o tema “Os 10 anos de luta da UGT e os desafios […]

Nesta segunda-feira, 24, membros da diretoria da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS) prestigiaram o IV Seminário 1º de maio – Dia Internacional dos Trabalhadores, da União Geral dos Trabalhadores (UGT), que este ano teve como mote o tema “Os 10 anos de luta da UGT e os desafios para superar a crise política e econômica do Brasil”. O evento acontece até amanhã (25), no Hotel Holiday Inn Parque Anhembi, em São Paulo.

O Presidente da FEEB-SP/MS, que é também é vice-presidente da UGT, deputado Davi Zaia, participou do evento no 1º painel da tarde, reservado para o debate sobre a reinserção do país competitivamente na economia global, apresentado pelo diretor de Competitividade Econômica e Estatística da ABIMAQ, Mario Bernardini. Zaia saudou os presentes e deixou sua mensagem.

Para o Presidente da Federação, o tradicional Seminário de 1º de Maio da UGT, tem grande mérito por realizar debates sobre a conjuntura e a situação do trabalhador em um momento em que o maior desafio é a construção de uma sociedade mais justa e mais equilibrada, uma vez que a tendência é de que os trabalhadores se tornem cada vez mais escassos, graças ao rápido avanço da tecnologia.

Zaia sugeriu também a atuação dos sindicatos à época da Segunda Revolução Industrial (ocorridas em meados dos séculos XIX e XX), como inspiração para o enfrentamento do avanço tecnológico que vem desempregando de forma massiva e contínua os trabalhadores.

“Desafio, talvez maior do que o trazido pela Revolução Industrial, que é quando os sindicatos no formato que conhecemos ganharam força. Por que souberam naquele momento interpretar corretamente a realidade que vinha se solidificando e em lugar de quebrar as máquinas e irem contra a implantação daquelas modernizações, se organizaram para que garantir que os trabalhadores pudessem ter acesso à produtividade e à eficiência gerada pelas máquinas e buscaram a redução da jornada de trabalho. Essa foi a luta do movimento sindical nos séculos passados para enfrentar a revolução que alterava significativamente o mundo do trabalho e é com essa perspectiva que devemos enfrentar os momentos que vêm pela frente. Se não tivermos a mesma ousadia que tiveram os nossos antecessores quando criaram e fortaleceram os sindicatos, não iremos dar conta de responder à realidade que teremos pela frente”, avaliou.

O Secretário geral da Federação, Reginaldo Breda também participou do seminário, juntamente com representantes dos sindicatos de Araçatuba, Franca, Guaratinguetá, Presidente Venceslau, Sorocaba, São José dos Campos, São José do Rio Preto e Votuporanga.

 

Notícias Relacionadas

Trabalhadores do Itaú entregam pauta específica de reivindicações no dia 25

Documento é resultado do encontro nacional, realizado em São Paulo, no dia 6 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai entregar a minuta específica de reivindicações ao Itaú na próxima terça-feira (25). O documento servirá de base para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco. As reivindicações foram […]

Leia mais

Intransigência da Caixa encerra negociações sobre redução de jornada para pais/mães e responsáveis por PcD e neurodivergentes (TEA)

Banco retira da proposta a concessão para empregados PcD, impõe uma série de travas para permitir a redução da jornada para pais/mães/responsáveis de PcD e encerra mesa de negociações após receber questionamentos sobre pontos sensíveis da proposta A reunião que negociaria a redução de jornada para empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal com deficiência […]

Leia mais

Caixa afirma que contencioso é insignificante, mas dados disponíveis demonstram o oposto

Fonte: APCEF/SP com informações da Fenae Em uma live realizada nesta terça-feira (18), a Funcef (Fundação dos Economiários Federais) e a Caixa anunciaram que estão abordando o contencioso trabalhista. Segundo Leonardo Groba, diretor jurídico da Caixa, o contencioso atual estaria estimado em cerca de R$ 500 milhões, “não tem grandes proporções, mas a Caixa possui […]

Leia mais

Sindicatos filiados