Doenças relacionadas ao trabalho matam 5,5 mil profissionais por dia no mundo, aponta OIT

23.04.2013

GENEBRA — As doenças profissionais continuam sendo as principais causas das mortes relacionadas ao trabalho. Segundo estimativas de relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgadas nesta terça-feira, de um total de 2,34 milhões de mortes relacionadas ao trabalho a cada ano, somente 321 mil se devem a acidentes. As outras 2,02 milhões de mortes […]

GENEBRA — As doenças profissionais continuam sendo as principais causas das mortes relacionadas ao trabalho. Segundo estimativas de relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgadas nesta terça-feira, de um total de 2,34 milhões de mortes relacionadas ao trabalho a cada ano, somente 321 mil se devem a acidentes. As outras 2,02 milhões de mortes são causadas por diversos tipos de enfermidades relacionadas à profissão, o que equivale a uma média diária de mais de 5,5 mil mortes.

As doenças profissionais são definidas pela organização como aquelas contraídas por meio da exposição a algum fator de risco relacionado ao trabalho. As mais comuns são a pneumoconiose, uma doença pulmonar causada pela inalação de poeiras; e distúrbios músculo-esqueléticos e mentais.

Segundo o estudo, cerca de 6,6 milhões de trabalhadores brasileiros estão expostos à poeira de sílica, principal componente da areia e relacionada ao desenvolvimento de tumores no pulmão. O OIT cita ainda que de 10 mil a 23 mil casos são registrados anualmente na China. Na Índia, cerca de 10 milhões de trabalhadores estão expostos a poeira de sílica em atividades de mineração, construção e indústrias.

Para o especialista em saúde e segurança no trabalho da Força Sindical, Rogério de Jesus Santos, a pneumoconiose é mais comum no Brasil em trabalhadores atividade de mineração, pedreiras e algumas indústrias.

— São funções relacionadas ao jateamento de areia. Equipamentos de segurança podem ajudar, mas é preciso reorganizar processo de trabalho, mudar técnicas — explica Santos, acrescentando que outras funções com exposição a minerais podem ser perigosas. — Existem outras matérias-primas cancerigenas, como caso do amianto, do mercúrio, do benzeno.

De acordo com a OIT, a ausência de uma prevenção adequada das enfermidades profissionais tem profundos efeitos negativos não somente nos trabalhadores e suas famílias, mas também na sociedade devido ao enorme custo gerado, particularmente no que diz respeito à perda de produtividade e a sobrecarga dos sistemas de seguridade social.

O estudo mostra que os acidentes e doenças relacionados ao trabalho resultam na perda anual de 4% do Produto Interno Bruto (PIB, conjunto de bens e serviços produzidos) no mundo, ou cerca de US$ 2,8 trilhões. O valor se refere ao custo direto e indireto dos acidentes e doenças.

Por isso, a estudo informou que implementa em países como Brasil, Chile, Índia, Indonésia, Malásia, Peru, Tailândia, Turquia e Vietnã uma série de treinamentos relacionados a radiografia de pneumoconiose para melhorar as técnicas de identificação mais precoce da doença. 

A prevenção é mais eficaz e tem menos custo que o tratamento e a reabilitação. Todos os países podem tomar medidas concretas agora para melhorar sua capacidade de prevenção das enfermidades profissionais ou relacionadas com o trabalho.

Como acontece todos os anos, o Programa da OIT sobre Segurança e Saúde no Trabalho e Meio Ambiente elaborou um relatório que serve para aprofundar o tema. Este ano, o apelo dos governos é para que as organizações de empregadores e de trabalhadores colaborem no desenvolvimento e na implantação políticas e estratégias nacionais destinadas a prevenir as enfermidades profissionais.

Números da pesquisa

Segurança e Saúde no Trabalho

2,02 milhões de pessoas morrem a cada ano devido a enfermidades relacionadas com o trabalho.
321 mil pessoas morrem a cada ano como consequência de acidentes no trabalho.
160 milhões de pessoas sofrem de doenças não letais relacionadas com o trabalho.
317 milhões de acidentes laborais não mortais ocorrem a cada ano.Isto significa que:
A cada 15 segundos, um trabalhador morre de acidentes ou doenças relacionadas com o trabalho.
A cada 15 segundos, 115 trabalhadores sofrem um acidente laboral.

Fonte: O Globo

Notícias Relacionadas

Eleições Economus – Ainda dá tempo de votar!

Passamos da metade do período do pleito, que vai eleger dois membros ao conselho deliberativo e um membro ao conselho fiscal do Economus. Até esta sexta-feira (19), 28% dos eleitores haviam exercido o direito ao voto. A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB SP/MS) e seus sindicatos […]

Leia mais

Banco do Brasil aprova atualização da Tabela PIP para beneficiar trabalhadores do Previ Futuro

Mudança na Pontuação Individual do Participante permite aumento na contribuição adicional e soma mais recursos para a aposentadoria, atendendo a antiga reivindicação dos funcionários O Banco do Brasil aprovou as mudanças na Tabela PIP (Pontuação Individual do Participante), uma reivindicação antiga dos trabalhadores, que permitirá aumentar a contribuição adicional para a aposentadoria. O anúncio foi […]

Leia mais

Eleições da Funcef: votação segue até sexta-feira (19)

Participantes da ativa e assistidos dos planos de previdência podem votar até sexta-feira (19), mas a orientação é não deixar para a última hora Teve início nesta terça-feira (16), a votação para as Eleições Funcef. Participantes dos planos de previdência da Funcef podem votar para definir quem vai ocupar a diretoria de Administração e Controladoria, […]

Leia mais

Sindicatos filiados