Emprego e saúde abrem negociações entre Comando e Fenaban nesta terça

04.08.2012

O Comando Nacional dos Bancários inicia nesta terça-feira (7) a primeira rodada de negociações com a Fenaban, em São Paulo, discutindo os blocos de reivindicações sobre emprego, saúde e cláusulas sócias. Os debates continuarão na quarta-feira (8). A pauta da Campanha Nacional 2012 foi entregue aos bancos na última quarta-feira (1º). A segunda rodada está […]

O Comando Nacional dos Bancários inicia nesta terça-feira (7) a primeira rodada de negociações com a Fenaban, em São Paulo, discutindo os blocos de reivindicações sobre emprego, saúde e cláusulas sócias. Os debates continuarão na quarta-feira (8). A pauta da Campanha Nacional 2012 foi entregue aos bancos na última quarta-feira (1º).

A segunda rodada está agendada para os dias 15 e 16, quando serão discutidos os blocos de reivindicações sobre segurança bancária, igualdade de oportunidades e remuneração.

"O sistema financeiro nacional está mais sólido que nunca. Apesar de terem aumentado drasticamente as provisões para devedores duvidosos, destoando da inadimplência real, os três grandes bancos (Bradesco, Itaú e Santander) que divulgaram balanços do primeiro semestre lucraram R$ 16 bilhões, o que demonstra que eles podem atender às nossas reivindicações", destaca o presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional, Carlos Cordeiro.

Emprego


"O fechamento de postos de trabalho, que estava concentrado no Itaú, começa a se espalhar por todo o sistema e isso é muito preocupante. Nem nos países que passam por uma profunda crise, como a Espanha, estão havendo demissões como no sistema financeiro brasileiro", disse o presidente da Contraf-CUT na entrega da minuta aos banqueiros. Ele também condenou o que chama de "mecanismo perverso da rotatividade" utilizado pelos bancos para dispensar funcionários mais antigos e reduzir a massa salarial da categoria.

"Na economia brasileira como um todo, segundo o Caged, a diferença de valor do salário médio dos trabalhadores contratados e dos desligados é de 7%. No sistema financeiro é de 40%. Isso é inadmissível. Não acontece em nenhum banco na América Latina. Só no Brasil, como a jabuticaba", criticou Cordeiro.

Para ele, é também um fenômeno tipicamente brasileiro a imensa diferença salarial entre os altos executivos e o piso salarial dos bancários. "Aqui essa diferença chega a 210 vezes. Não podemos aceitar essa brutal concentração da riqueza produzida pelos trabalhadores."

Saúde

O coordenador do Comando Nacional também defendeu a necessidade de melhorar as condições de trabalho nos bancos. "Está aumentando o adoecimento da categoria por causa da pressão, das metas abusivas e do assédio moral. É grande o número de bancários que tomam remédio tarja preta. E ainda somos surpreendidos com banco contratando arapongas para vigiar a vida particular de bancários afastados por licença médica. Esperamos que não seja prática do setor, senão a negociação não é séria", assinala Cordeiro.

Principais reivindicações dos bancários

  • Reajuste salarial de 10,25%, o que significa 5% de aumento real acima da inflação projetada de 4,97% nos últimos 12 meses. 
  • PLR de três salários mais R$ 4.961,25 fixos. 
  • Piso da categoria equivalente ao salário mínimo do Dieese (R$ 2.416,38).
  • Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários.
  • Auxílio-educação para graduação e pós-graduação.
  • Auxílio-refeição, cesta-alimentação e auxílio creche/babá: R$ 622,00 cada.
  • Emprego: aumentar as contratações, acabar com a rotatividade, fim das terceirizações, aprovação da Convenção 158 da OIT (que inibe demissões imotivadas) e universalização dos serviços bancários.
  • Cumprimento da jornada de 6 horas para todos.
  • Fim das metas abusivas e combate ao assédio moral para preservar a saúde dos bancários.
  • Mais segurança nas agências e postos bancários.
  • Previdência complementar para todos os bancários.
  • Contratação total da remuneração, o que inclui a renda variável.
  • Igualdade de oportunidades.

Calendário de Negociações

7 e 8 – Primeira rodada com Fenaban, em São Paulo
10 – Primeira rodada com Caixa, em Brasília
13 e 14 – Primeira rodada com BB, em Brasília
15 e 16 – Segunda rodada com Fenaban, em São Paulo
17 – Segunda rodada com Caixa, em Brasília

Fonte: Contraf-CUT  

Notícias Relacionadas

Banco do Brasil aprova atualização da Tabela PIP para beneficiar trabalhadores do Previ Futuro

Mudança na Pontuação Individual do Participante permite aumento na contribuição adicional e soma mais recursos para a aposentadoria, atendendo a antiga reivindicação dos funcionários O Banco do Brasil aprovou as mudanças na Tabela PIP (Pontuação Individual do Participante), uma reivindicação antiga dos trabalhadores, que permitirá aumentar a contribuição adicional para a aposentadoria. O anúncio foi […]

Leia mais

Eleições da Funcef: votação segue até sexta-feira (19)

Participantes da ativa e assistidos dos planos de previdência podem votar até sexta-feira (19), mas a orientação é não deixar para a última hora Teve início nesta terça-feira (16), a votação para as Eleições Funcef. Participantes dos planos de previdência da Funcef podem votar para definir quem vai ocupar a diretoria de Administração e Controladoria, […]

Leia mais

Feeb SP/MS dá posse para nova Diretoria

                Diretoria eleita assume quadriênio 2024/2028 A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) empossou a nova diretoria da entidade, eleita durante o VIII Congresso Interestadual, realizado em março, em São Paulo. A posse foi oficializada no dia 08 […]

Leia mais

Sindicatos filiados