Febraban levanta 273 denúncias de violência doméstica contra bancárias na pandemia

13.05.2022

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) vai divulgar nos próximos dias um levantamento que mostra que as instituições financeiras receberam 273 pedidos de ajuda de funcionárias que sofreram violência doméstica entre 2020 e 2022. Em 2021, o número de denúncias cresceu 11% em relação ao ano anterior. Este ano soma 18 casos até fevereiro. Ainda […]

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) vai divulgar nos próximos dias um levantamento que mostra que as instituições financeiras receberam 273 pedidos de ajuda de funcionárias que sofreram violência doméstica entre 2020 e 2022.

Em 2021, o número de denúncias cresceu 11% em relação ao ano anterior. Este ano soma 18 casos até fevereiro.

Ainda segundo a pesquisa, que reúne dados fornecidos por 25 instituições, 11 funcionárias são violentadas por mês. As formas de agressão são muitas (física, moral, patrimonial, psicológica, sexual e virtual) e podem ser praticadas por marido, parentes ou outras pessoas do convívio familiar.

Em 2020, a Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul assinou junto com a Febraban, sindicatos e demais entidades sindicais,  um termo aditivo à Convenção Coletiva do Trabalho, a fim de desenvolver ações para prevenir a violência doméstica.

A categoria bancária é a primeira a conquistar cláusulas em acordo coletivo sobre igualdade de oportunidades e a única a manter uma mesa permanente de negociações com representantes patronais sobre questões de gênero, raça e orientação sexual.

Os casos de violência doméstica e familiar contra mulheres que atuam no setor bancário cresceu 10,7% em 2021 na comparação a 2020. A cada mês, 11 bancárias são agredidas de forma física, moral, patrimonial, psicológica, sexual e virtual por seus companheiros, parentes ou pessoas de seu convívio familiar, segundo levantamento feito pela Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) com 25 instituições financeiras.

Números

Em dois anos de pandemia, entre fevereiro de 2020 e fevereiro de 2022, os bancos acolheram 273 pedidos de ajuda de colaboradoras vítimas de violência. Foram 121 casos em 2020, 134 casos em 2021 e 18 casos atendidos pelos bancos até fevereiro deste ano.

Atualmente, as mulheres representam 49% dos cerca de 450 mil empregados do segmento bancário brasileiro, que trabalham em aproximadamente 3,3 mil municípios do país.

As bancárias podem solicitar transferência de unidade, caso julguem necessária. Até o momento, 11 vítimas pediram realocação.

Para a presidente do Sindicato dos Bancários de Campinas, Ana Stela Lima, o acordo  conquistado vai além das relações de trabalho. “Esse acordo muito importante foi firmado entre bancos e entidades sindicais em 2020, alguns dias antes da deflagração da pandemia. É um marco, porque extrapola as relações do trabalho e entra no campo social, onde todos entendem que a violência é um mal que atinge toda a sociedade e não apenas aquelas que a sofrem diretamente”, explica.

Canais de atendimento

Os canais oferecem atendimento às vítimas de violência entre os serviços estão: apoio jurídico, psicológico e assistencial às mulheres. Dentre os sindicatos filiados à Feeb que já possuem o atendimento estão os Sindicatos dos Bancários de Campinas e Região e de Piracicaba e Região.

A iniciativa inspirou  o projeto “Basta! Não Irão nos Calar!”, lançado em agosto de 2021 para oferecer assessoria técnica às federações e aos sindicatos, visando a implantação de canais de atendimento jurídico especializado para mulheres em situação de violência doméstica e familiar.

Baixe aqui a “Cartilha Basta! Não irão nos calar!”

Fontes: Folha de São Paulo e Febraban, com edição Feeb SP/MS. 

Notícias Relacionadas

Financiários conquistam proposta com reajustes econômicos e garantias de direitos

Feeb SP/MS indica aceitação da proposta; assembleias devem ser realizadas até segunda-feira (10) Depois de uma negociação que se estendeu por quase três meses, os financiários conquistaram a garantia de todos os direitos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) por dois anos. Em negociação realizada na manhã desta quarta-feira (5), de forma híbrida, a Federação […]

Leia mais

Financiários se reúnem com a Fenacrefi nesta quarta-feira (5)

Este será o terceiro encontro de negociação desde a entrega da pauta de reivindicações, realizada em 1º de julho Representantes dos financiários se reúnem com a Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi), nesta quarta-feira (5), às 11h, para dar continuidade às negociações da Campanha Nacional 2022. Esta será a terceira rodada […]

Leia mais

Feeb SP/MS discute nova terceirização do Santander nesta terça-feira (4)

Nesta terça-feira (4), dirigentes sindicais da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) se reúnem para tratar sobre o tema “Terceirização do Santander”. A expectativa é a de que 1,7 mil empregados passem a atuar na empresa SX Tools, criada pelo próprio banco. O anúncio foi feito […]

Leia mais

Sindicatos filiados