FEEB-SP/MS marca presença em ato em defesa dos trabalhadores do HSBC

27.05.2015

A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul esteve presente na Manifestação em Defesa dos Trabalhadores do HSBC, realizada nesta quarta-feira (27) pelos movimentos sindicais em frente ao prédio do Banco Central, na Av. Paulista. "A manifestação na porta do Banco Central é uma forma de chamar a atenção para a […]

A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul esteve presente na Manifestação em Defesa dos Trabalhadores do HSBC, realizada nesta quarta-feira (27) pelos movimentos sindicais em frente ao prédio do Banco Central, na Av. Paulista. "A manifestação na porta do Banco Central é uma forma de chamar a atenção para a causa, de sensibilizá-los para que se engajem em prol dos milhares de funcionários do HSBC, ameaçados pelo encerramento das operações no país. O banco se estabeleceu no Brasil, lucrou muito e agora simplesmente decide ir embora. Como fica a situação dos empregados e suas famílias? É preciso acompanhar atentamente e cobrar responsabilidade com os trabalhadores, eles possuem compromisso com lucros e o mercado, mas é preciso que se comprometam com a preservação dos empregos", declarou o diretor de Saúde da FEEB-SP/MS, João Analdo.

Histórico
O banco inglês, que vinha registrando um desempenho abaixo do esperado, contabilizou um prejuízo de US$247 milhões no Brasil no ano passado e demitiu cerca de mil funcionários no final de 2014, confirmou na semana passada a intenção de vender seus ativos no país. A informação colocou em alerta os 21 mil trabalhadores bancários que atuam no HSBC em todo o país.

O movimento sindical, antes mesmo da confirmação oficial da saída da instituição financeira do Brasil já vinha se mobilizando para garantir a manutenção dos postos de trabalho. No ano passado, quando ocorreram as demissões em massa após reunião com a FEEB-SP/MS e outras entidades sindicais, o HSBC se comprometeu a interromper as demissões e a reintegrar funcionários demitidos irregularmente (funcionários em estabilidade pré-aposentadoria, grávidas, afastados por motivos de saúde ou portadores de doenças crônicas). A partir de agora, deverão ser intensificadas as ações para impedir que o trabalhador mais uma vez seja lesado em detrimento do lucro dos bancos. A manifestação em frente à sede do Banco Central, que vem sendo chamado à ação para evitar mais este ataque à categoria dos bancários, é apenas mais um exemplo da luta que vem sendo travada neste sentido.

 

Notícias Relacionadas

Campanha Nacional: Combate ao Assédio Moral volta a ser negociado com Federação Nacional dos Bancos (Fenaban)

Bancos negam que causa de adoecimento está relacionada à cobrança de metas O Comando Nacional dos Bancários se reuniu com a Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (15), para mais uma negociação. O combate ao assédio moral foi novamente tema do debate. Apesar de mais uma vez os bancos negarem que a causa do adoecimento […]

Leia mais

CEBB negocia com o banco cláusulas econômicas e representação sindical

Ao término da negociação, bancários leram manifesto pela democracia Bancários do Banco do Brasil se reuniram nesta sexta-feira (12) com o banco para mais uma negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Banco do Brasil e do aditivo à […]

Leia mais

Federação dos Bancários orienta Sindicatos para realização de lives na próxima semana

Objetivo é promover o dialogo com a categoria e fortalecer pautas de luta na Campanha Nacional Conforme orientação do Comando Nacional, todo o movimento sindical deve dialogar com a categoria na próxima semana. A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, reforça o pedido para os seus 23 sindicatos filiados, para […]

Leia mais

Sindicatos filiados