Fenaban insiste em fazer proposta rebaixada e Comando rejeita na mesa

09.09.2016

Nova rodada de negociação está agendada para a próxima terça-feira (13), em São Paulo A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou novamente uma proposta rebaixada à categoria, durante reunião com o Comando Nacional dos Bancários na manhã desta sexta-feira (09): 7% de reajuste e um abono de R$3,3 mil. O índice apresentado não repõe a […]

Nova rodada de negociação está agendada para a próxima terça-feira (13), em São Paulo

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou novamente uma proposta rebaixada à categoria, durante reunião com o Comando Nacional dos Bancários na manhã desta sexta-feira (09): 7% de reajuste e um abono de R$3,3 mil.

O índice apresentado não repõe a inflação do período, de 9,57%, resultando numa perda de 2,39% à categoria. Além disso, a representante dos bancos não apresentou propostas que avancem nas cláusulas econômicas ou sociais. O Comando Nacional dos Bancários rejeitou a proposta na mesa e solicitou a continuidade das negociações.

“A Fenaban insiste no mesmo modelo de proposta, com índice abaixo da inflação e abono. Desta vez a perda imposta aos trabalhadores é de 2,39% mediante a inflação e não foram apresentadas quaisquer propostas em relação à garantia de emprego, saúde e condições de trabalho ou segurança. A categoria deve, portanto, seguir firme com a paralisação, ampliando-a, pois os bancos têm plenas condições de apresentar uma proposta digna, que não resulte em perdas para os bancários”, avalia o vice-presidente da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Jeferson Boava.

Esta é a segunda proposta apresentada pela Federação dos bancos, que no dia 29 de agosto, ofereceu índice de 6,5% sobre salários, vales e demais verbas e R$ 3 mil de abono. Sindicatos de todo o país realizaram assembleias e aprovaram a rejeição à proposta com indicativo de greve a partir da 0h00 do dia 06 de setembro (terça-feira). A Fenaban chamou a negociação de hoje ao final do primeiro dia da greve, que contabilizou 1.298 postos de trabalho paralisados na base da FEEB-SP/MS e 7.359, entre agências e centros administrativos, a nível nacional. Na última quinta-feira, véspera da reunião, os números da paralisação haviam subido respectivamente para 1.665 e 8.457 unidades.

Nova rodada de negociação

A próxima rodada de negociação será na terça-feira (13), às 14h, em São Paulo.

 

Notícias Relacionadas

Bancários querem mais contratações, fim das demissões e da precarização

Comando Nacional propõe maior equilíbrio entre dias trabalhados, com momentos de descanso e lazer, com redução da jornada para quatro dias; proposta pode aumentar produtividade e satisfação com o emprego O Comando Nacional dos Bancários se reuniu na manhã desta segunda-feira (27) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na segunda reunião de negociação da […]

Leia mais

Bancários negociam com Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (27)

Temas Emprego e Terceirização são os primeiros temas a serem discutidos A Campanha Nacional do Bancário, iniciada na última semana, segue hoje (27) com mais uma negociação. Federações, associações e representação sindical negociam com a Federação Nacional dos Bancos as pautas “Emprego e Terceirização”. Os temas foram definidos pelo Comando Nacional dos Bancários na última […]

Leia mais

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Sindicatos filiados