Garantida PCR de R$ 1.800, no Itaú

16.08.2012

Crédito: Júlio César Costa A Participação Complementar nos Resultados (PCR) do Itaú será de R$ 1.800,00. O valor foi assegurado em rodada de negociação entre os sindicatos e o Banco, realizada hoje (16/8), em São Paulo. O pagamento será efetuado em duas vezes, segundo a proposta do Itaú: R$ 1.000,00 serão pagos no período em […]

Crédito: Júlio César Costa

A Participação Complementar nos Resultados (PCR) do Itaú será de R$ 1.800,00. O valor foi assegurado em rodada de negociação entre os sindicatos e o Banco, realizada hoje (16/8), em São Paulo. O pagamento será efetuado em duas vezes, segundo a proposta do Itaú: R$ 1.000,00 serão pagos no período em que for creditada a primeira parcela da PLR (Participação nos Lucros e Resultados), negociada com a Fenaban durante a Campanha Nacional; os R$ 800,00 restantes serão creditados no período do pagamento da segunda parcela da PLR. Os sindicatos, no entanto, reivindicaram pagamento numa única parcela, ao final da Campanha.

Os sindicatos garantiram também aumento das bolsas de estudo, que passam das atuais quatro mil para 5.500 (cinco mil para funcionários do Banco, sendo mil preferencialmente para portadores de deficiências especiais; e 500 para os trabalhadores das demais empresas da holding). A bolsa corresponde até 70% do valor da mensalidade, limitado ao máximo de R$ 320,00. Os bancários contemplados receberão 11 parcelas, retroativas a fevereiro deste ano.

Para Mauri Sérgio, integrante e representante da Federação dos Bancários de SP e MS na COE (Comissão de Organização dos Empregados), que participou da rodada, a garantia de uma PCR equivalente a R$ 1.800,00 representa um avanço na atual conjuntura. “O processo de negociação foi complicado. Em função da onda de demissões, o debate emperrou, travou. Para ilustrar, a última rodada ocorreu no dia 23 de abril e o Itaú insistia em pagar apenas R$ 1.600,00. Conseguimos romper algumas barreiras e garantir o valor de R$ 1.800,00. Sem falar no aumento no número de bolsas”. Segundo o integrante da COE, o acordo negociado hoje tem validade de 12 meses.

Notícias Relacionadas

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Campanha Nacional: Bancários definem temas das próximas negociações com os bancos

Demissão em massa pelo Mercantil do Brasil no Rio de Janeiro; abono do banco de horas negativas e retirada de pauta do PL 1043/2019, também foram pautas do primeiro dia de negociação O Comando Nacional dos Bancários definiu nesta quarta-feira (22), os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados