Greve chega ao 13º dia e fecha 1.708 agências na base da Feeb SP/MS

01.10.2013

A greve dos bancários já está no 13º dia e a Fenaban (Federação dos Bancos) segue sem apresentar proposta que contemple as principais reivindicações da categoria. Diante da intransigência dos banqueiros, o movimento grevista cresce a cada dia, configurando uma das maiores paralisações dos últimos anos. Nesta terça-feira, 1º de outubro, 11.016 agências foram fechadas […]

A greve dos bancários já está no 13º dia e a Fenaban (Federação dos Bancos) segue sem apresentar proposta que contemple as principais reivindicações da categoria. Diante da intransigência dos banqueiros, o movimento grevista cresce a cada dia, configurando uma das maiores paralisações dos últimos anos.

Nesta terça-feira, 1º de outubro, 11.016 agências foram fechadas no país. Na base da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS), os sindicatos filiados conseguiram paralisar 1.708 postos de trabalho. “Desde que as paralisações começaram a adesão da categoria só tem ampliado; começamos com 845 agências fechadas na base e hoje já duplicamos esse número”, afirma o representante da Feeb SP/MS no Comando Nacional, Cido Roveroni.

Cido completa que a categoria quer a retomada das negociações com a Fenaban. “Em documento enviado na última quinta-feira, o Comando reiterou a disposição em negociar, mas os bancos seguem sem apresentar resposta aos milhares de trabalhadores que estão protestando e reivindicando melhores condições de trabalho e valorização dos salários, do piso e da PLR”, afirma.

As reivindicações dos bancários

Entre as principais reivindicações dos bancários estão reajuste de 11,93% (aumento real de 5% e reposição da inflação do período), PLR de três salários mais R$ 5.553,15, piso de R$ 2.860,21 (salário mínimo do Dieese), melhores condições de trabalho, fim das demissões e da rotatividade e mais contratações.

A Fenaban, no entato, propôs apenas reajuste de 6,1%, sem aumento real e não apresentou solução para as demais demandas sobre saúde, condições de trabalho, segurança e emprego.

> Bancos são campeões em lucratividade e podem atender reivindicações. Leia aqui.

VEJA TAMBÉM

Bancos privados fecham 7 mil postos de trabalho em oito meses

 

Notícias Relacionadas

Proposta sobre Teletrabalho vai avançar

Reivindicações da categoria avançam nas negociações sobre trabalho remoto, mas Comando dos Bancários cobra agilidade na resposta sobre a proposta global A proposta da categoria bancária para o trabalho remoto avançou nas negociações realizadas na tarde desta quinta-feira (11) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). “Tivemos evolução no Teletrabalho que se torna cláusula da […]

Leia mais

Caixa se nega a criar GT para discutir contencioso da Funcef

Banco avalia que o tema já é tratado pela própria fundação de previdência dos trabalhadores Em reunião de negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, realizada nesta quarta-feira (10), com a Comissão Executiva dos Empregados (CEE), a Caixa Econômica Federação se negou a atender a reivindicação para que seja criado um grupo de trabalho (GT) […]

Leia mais

Atos pela democracia ocorrem em todo o País e reafirmam o compromisso contra o autoritarismo

Data de 11 de agosto marca a leitura de um manifesto contra ditadura militar em 1977 Brasileiros de inúmeras regiões do País realizaram nesta quinta-feira (11), atos em defesa do estado democrático de direito. Milhares de entidades representativas foram às ruas manifestar a defesa pela garantia da democracia e do sistema eleitoral eletrônico. A data […]

Leia mais

Sindicatos filiados