Greve continua forte no 6º dia na Baixada Santista

10.10.2020

Greve chega ao sexto dia, segunda dia 04/10/10, forte com mais de 95% de paralisação, inclusive em 12 agências do Bradesco e em todas as outras de bancos privados e públicos na Baixada Santista. O que significa que quase a totalidade das 250 agências e postos de atendimento foram paralisados e mais de 3.400 bancários […]

Greve chega ao sexto dia, segunda dia 04/10/10, forte com mais de 95% de paralisação, inclusive em 12 agências do Bradesco e em todas as outras de bancos privados e públicos na Baixada Santista.
O que significa que quase a totalidade das 250 agências e postos de atendimento foram paralisados e mais de 3.400 bancários cruzaram os braços de um total de 3.800 na Baixada Santista. A diretoria do Sindicato dos Bancários de Santos e Região convoca todos os bancários da região, nesta terça-feira, para intensificar a GREVE e participar de assembleia para determinar os rumos da greve, a partir das 16h30, no Sindicato, na Av. Washington Luiz, 140, em Santos.
 
A diretoria do Sindicato tomou o cuidado de deixar aberta uma agência de cada banco pagador de benefícios somente para atender os aposentados e não criar transtornos aos que recebem nestes primeiros cinco dias úteis. São elas: Itaú/Amador Bueno (antigo Unibanco), Bradesco/Pça. Mauá e Santander/Coliseu (ao lado do Fórum de Santos), os demais bancos não pagam benefícios aos aposentados.
 
“Os banqueiros continuam intransigentes e dizendo não a todas as reivindicações como fizeram nas 5 negociações travadas com a categoria bancária. Os bancos faturam dezenas de bilhões todos os anos com empréstimos, juros altos, cobrança de tarifas absurdas dos clientes, cobrança de juros extorsivos por títulos da dívida pública do governo federal (o que gera um escoamento anual de cerca de 36% do Produto Interno Bruto (PIB) para seus cofres e em contrapartida oferecem mau atendimento, desemprego, salário de fome de R$ 935,00 líquidos, más condições de trabalho, assédio moral para vender produtos contra a vontade do cliente e outras aberrações”, afirma Ricardo Saraiva Big, presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região.
 
A greve nacional abrange todos os 26 Estados e no Distrito Federal. Os banqueiros oferecem míseros 4,29% de reajuste (que apenas repõe a inflação) contra as reivindicações dos bancários de 11% de reajuste, valorização dos pisos, PLR maior, combate ao assédio moral, fim das metas, proteção ao emprego, mais contratações, igualdade de oportunidades, segurança contra assaltos e sequestros e fim da precarização via correspondentes bancários, entre outros pontos.

Fonte: Gustavo Mesquita – AI Seeb Santos

Notícias Relacionadas

Bancários negociam com Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (27)

Temas Emprego e Terceirização são os primeiros temas a serem discutidos A Campanha Nacional do Bancário, iniciada na última semana, segue hoje (27) com mais uma negociação. Federações, associações e representação sindical negociam com a Federação Nacional dos Bancos as pautas “Emprego e Terceirização”. Os temas foram definidos pelo Comando Nacional dos Bancários na última […]

Leia mais

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Sindicatos filiados