Greve cresce para 12 cidades e 102 agências estão paradas em Piracicaba e Região

21.09.2012

No quarto dia da greve nacional por tempo indeterminado, a greve tem se ampliado na base territorial de Piracicaba e Região e em todo país. Hoje, foram registradas a adesão de 12 cidades e 102 agências fechadas. Até ontem, a Contraf-CUT havia informado que 8.527 agências estavam fechadas em todo país. Os trabalhadores do sistema […]

No quarto dia da greve nacional por tempo indeterminado, a greve tem se ampliado na base territorial de Piracicaba e Região e em todo país. Hoje, foram registradas a adesão de 12 cidades e 102 agências fechadas. Até ontem, a Contraf-CUT havia informado que 8.527 agências estavam fechadas em todo país.

Os trabalhadores do sistema financeiro lutam contra a ganância dos banqueiros, que se recusam a atender as justas reivindicações da categoria e ao denunciarem os lucros cada vez maiores, as taxas abusivas, as filas enormes e a falta de segurança nas agências que coloca em risco a vida de funcionários, clientes e usuários das agências bancárias.

Na base territorial do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região a greve se ampliou ainda mais, demonstrando a indignação dos bancários diante da intransigência dos bancos. Das 22 cidades que compõem a base, 12 aderiram à greve: Piracicaba (88%), Santa Bárbara d’Oeste (86%), Rafard (50%), Cerquilho (83%), Capivari (85%), Rio das Pedras (33%), Tietê (87,5%), São Pedro (86%), Águas de São Pedro (66%), Laranjal Paulista (86%), Conchas (75%) e Charqueada (50%).

A greve nacional dos bancários continua crescendo em todo território nacional. Nesta quinta-feira, 20, terceiro dia do movimento, as paralisações atingiram 8.527 agências e centros administrativos de bancos públicos e privados nos 26 estados e Distrito Federal. As Informações foram enviadas à Contraf-CUT até as 17h45 pelos 137 sindicatos que integram o Comando Nacional dos Bancários.

No primeiro dia de greve, terça-feira, dia 18, 5.132 agências foram fechadas. Já no segundo dia, as paralisações alcançaram 7.324 unidades de trabalho. O crescimento da greve nesta quinta-feira superou também o terceiro dia do movimento no ano passado, quando 7.672 unidades foram fechadas.

A greve por tempo indeterminado foi deflagrada em assembleia realizada no dia 12 de setembro em resposta à intransigência dos banqueiros e das direções dos bancos federais que se recusam a atender as reivindicações da categoria. A proposta apresentada pelos bancos no dia 28 de agosto, de 6% de reajuste sobre todas as verbas salariais foi recusada pelos trabalhadores, pois significa aumento real de apenas 0,58%.

Fonte: SEEB Piracicaba

Notícias Relacionadas

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Campanha Nacional: Bancários definem temas das próximas negociações com os bancos

Demissão em massa pelo Mercantil do Brasil no Rio de Janeiro; abono do banco de horas negativas e retirada de pauta do PL 1043/2019, também foram pautas do primeiro dia de negociação O Comando Nacional dos Bancários definiu nesta quarta-feira (22), os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados