Idade mínima para aposentadoria de mulheres será de 62 anos, diz relator

18.04.2017

Reforma da Previdência e os principais pontos GUSTAVO URIBE DANIEL CARVALHO LAÍS ALEGRETTI DE BRASÍLIA O relator da reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-BA), definiu que adotará uma idade mínima de 62 anos para as mulheres no relatório final da proposta de mudança nas aposentadorias. A escolha foi anunciada em café da manhã do presidente […]

Reforma da Previdência e os principais pontos

GUSTAVO URIBE
DANIEL CARVALHO
LAÍS ALEGRETTI
DE BRASÍLIA

O relator da reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-BA), definiu que adotará uma idade mínima de 62 anos para as mulheres no relatório final da proposta de mudança nas aposentadorias.

A escolha foi anunciada em café da manhã do presidente Michel Temer com a base aliada nesta terça-feira (18). A definição atende a apelo da bancada feminina, que pressionou o peemedebista por uma diferenciação em relação à idade masculina de 65 anos.

A diminuição representa um novo recuo do governo na reforma previdenciária, já que o discurso inicial era de que a idade mínima para homens e mulheres era um dos pontos que não poderia ser alterado pelo Congresso Nacional.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA
As mudanças propostas na aposentadoria

Em entrevista à Folha, o presidente já havia admitido a possibilidade de redução da idade mínima para as mulheres. "Se tivermos a idade de homem de 65 anos e a de mulher, 64 ou 63, não significa que não tenha sido feita uma grande conquista", disse.

Com a discussão sobre a idade mínima da mulher, o presidente da comissão especial da reforma previdenciária, Carlos Marun (PMDB-MS), adiou para quarta-feira (19) a leitura do relatório final.

Segundo ele, o relator da iniciativa, Arthur Maia (PPS-BA), pediu um tempo maior para fazer os cálculos do impacto da alteração. O adiamento foi definido em acordo com Temer e com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

A leitura do documento foi remarcada para as 9h da quarta-feira (19). Para Marun, o adiamento não causa impactos no cronograma de votação da proposta, uma vez que a expectativa é de que o documento seja votado na comissão especial apenas na semana que vem.

De acordo com o peemedebista, além da necessidade de novos cálculos para introduzir a mudança, 5% do relatório ainda não está pronto. Mesmo assim, Temer manteve nesta terça-feira (18) café da manhã com a base aliada para apresentar o texto incompleto.

Marun minimizou que o adiamento possa causar impacto nas expectativas do mercado financeiro, que esperava a apresentação pública do texto final nesta terça-feira (18).

Fonte: Folha de S. Paulo
Para acessar a publicação original, clique aqui 
Foto: Lalo de Almeida 2009/Folhapress

Notícias Relacionadas

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Feeb SP/MS monta grupo de trabalho para discutir metas com Banco Itaú

Prazo para organização de grupos de representação se encerrou no último dia 31 Bancários representados pela Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul formalizaram o pedido junto ao banco para montagem de um grupo de trabalho para discussão de metas. De acordo com a cláusula 87 da Convenção Coletiva […]

Leia mais

Sindicatos filiados