INSS corrige reajuste de benefícios para 6,20%; teto vai a R$ 4.159

11.01.2013

DE SÃO PAULO O Ministério da Previdência corrigiu para 6,20% o reajuste dos aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Ontem, foi divulgado o reajuste de 6,15%. O valor foi corrigido hoje devido ao índice de inflação INPC, para 6,20%, anunciado mais cedo pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) –ou […]

DE SÃO PAULO

O Ministério da Previdência corrigiu para 6,20% o reajuste dos aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Ontem, foi divulgado o reajuste de 6,15%.

O valor foi corrigido hoje devido ao índice de inflação INPC, para 6,20%, anunciado mais cedo pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) –ou seja, acima da previsão inicial feita pelo governo.

A medida vale para o benefício de janeiro, cujo pagamento cai em fevereiro.

Com a mudança, o novo teto da Previdência Social será de R$ 4.159,00, contra os R$ 4.157,05 definidos ontem.

Os índices de reajustes dos benefícios e a nova tabela de contribuição dos segurados empregados, empregados domésticos e trabalhadores avulsos será republicada amanhã no "Diário Oficial", sexta-feira (11), atualizando os valores.

O reajuste impacta 9,2 milhões de benefícios acima do piso previdenciário.

SALÁRIO MÍNIMO

Quem recebe um salário mínimo, atualmente em R$ 622, terá direito a um reajuste maior, de 9% (R$ 678), já que esse é o aumento que o governo estipulou para o piso nacional.

Como esse também é o menor valor pago pelo INSS, alguns segurados que antes não recebiam o mínimo passarão a ganhar pelo piso. É o caso de benefícios até R$ 638,41, que ficariam abaixo do novo salário mínimo com o reajuste de 6,15%.

O novo mínimo atinge 20 milhões de benefícios e representa impacto líquido de R$ 10,7 bilhões nos benefícios.

Fonte: Folha de S.Paulo

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados