Interestadual define prioridades para a Conferência Nacional

30.05.2014

Aumento real e garantia de nível de emprego são itens prioritários Foto: Júlio César Costa A plenária final da Conferência Interestadual da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul aprovou nesta sexta-feira, dia 30, as prioridades dos sindicatos filiados relativas a emprego, remuneração, saúde, condições de trabalho, segurança e estratégias e […]

Aumento real e garantia de nível de emprego são itens prioritários

Foto: Júlio César Costa

A plenária final da Conferência Interestadual da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul aprovou nesta sexta-feira, dia 30, as prioridades dos sindicatos filiados relativas a emprego, remuneração, saúde, condições de trabalho, segurança e estratégias e táticas de campanha para a Conferência Nacional da categoria, que acontece entre os dias 25 e 27 de julho, em São Paulo. Participaram da Interestadual, realizada em Itanhaém nos dias 29 e 30 de maio, 200 delegados (153 homens e 47 mulheres).

LEIA TAMBÉM:

Itaú, Bradesco e Santander fecham mais de 22 mil postos de trabalho em 27 meses 

> Davi Zaia debate movimentos sociais e representação política com os bancários 

Entre os itens aprovados, estão defesa e manutenção do nível de emprego; permanecer com a estratégia do aumento real; combate às formas de precarização do atendimento como horário estendido e agências de negócios; combate às metas abusivas, que causam adoecimento e estresse na categoria e expansão do projeto-piloto de segurança, conquistado na Campanha de 2012, para todo o território nacional, com melhorias em relação ao fim da guarda de chaves, vidro blindado nas fachadas dos bancos, porta com detector de metal antes do autoatendimento, filmagens interna e externa em alta resolução e fim das tarifas (Doc e Ted). Além disso, fortalecer junto as centrais a discussão da ratificação da Convenção 158 da OIT, que proíbe as demissões imotivadas, e manter a luta contra o PL 4330, que libera a terceirização e precariza as condições de trabalho.

Os delegados discutiram ainda modelo de PLR, cujas propostas serão remetidas ao GT de PLR do Comando Nacional dos Bancários e aprovaram um protocolo de venda responsável, com o objetivo de garantir aos bancários uma vida laboral ética e saudável. Confira abaixo a íntegra:

PROTOCOLO DE VENDA RESPONSAVEL COM CONDIÇÕES DE TRABALHO

Para garantir aos seus empregados uma vida laboral ética e saudável é necessário que a política de comercialização de produtos e serviços atenda aos seguintes requisitos:

a) As instituições devem orientar seus empregados a informar os clientes com imparcialidade e rigor sobre os diversos produtos e serviços, explicando os aspectos relevantes e advertindo sobre os riscos, gastos e taxas administrativas aplicadas, desta forma, evitando a contratação com o único fim de cumprir metas, sem o interesse efetivo do cliente. As vendas realizadas por telefone serao efetivadas somente com gravação e assinatura eletronica do cliente. Nesse sentido, as campanhas diárias, focadas em um único produto, não atendem as premissas acima e devem ser extintas como estratégia de comercialização;

b) As instituições financeiras se comprometem a realizar ações de formação, durante horario de trabalho, que facilitem o desenvolvimento de habilidades, conhecimentos e competências de seus empregados, orientados principalmente para a gestão do risco, a qualidade do serviço ao cliente e o conhecimento de seus produtos.

c) O estabelecimento de volumes e portfolios de produtos e serviços a serem comercializados deve respeitar as especificidades do mercado local e da infraestrutura de cada unidade (porte, número de funcionários, etc.). Deve contar com a participação dos trabalhadores em cada unidade de trabalho na sua construção, uma vez que são estes os que melhor conhecem tais especificidades. As metas deverão ser adequadas nas hipóteses de afastamentos, licenças, férias, ausências e dotação incompleta. A revisão só poderá ser feita após o término do período acordado.

d) Entendendo que a integridade física e psicológica do trabalhador é peça chave para a realização dos objetivos da empresa, o acompanhamento dos resultados deve:
I. Ser auferido coletivamente;
II. Ser realizado exclusivamente no horário de trabalho;
III. Acontecer apenas através de canais corporativos, nunca pelos endereços eletrônicos particulares; e

e) Obedecer a princípios éticos e legais, promovendo o respeito à diversidade, à cooperação e ao trabalho em equipe. A cordialidade e a civilidade devem ser regra.
.

Fonte: Feeb SP/MS
 

Notícias Relacionadas

Comando Nacional dos Bancários entregará minuta de reivindicações à Fenaban no dia 18

No mesmo dia, trabalhadores do BB e da Caixa farão a entrega das minutas específicas de cada banco O Comando Nacional dos Bancários entregará à Federação Nacional do Bancos (Fenaban), na próxima terça-feira (18), a minuta de reivindicações que servirá de base à Campanha Nacional de 2024, para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho […]

Leia mais

Bancários aprovam minuta de reivindicações da Campanha Nacional 2024

Documento, que servirá de base à renovação da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, será entregue à Fenaban no próximo dia 18 Bancárias e bancários, de todo o Brasil, aprovaram, em assembleias realizadas nesta quinta-feira (13), a minuta de reivindicações que servirá de base à Campanha Nacional de 2024, para a renovação da Convenção Coletiva […]

Leia mais

Contraf-CUT pede informações à Caixa sobre PDV

Objetivo é garantir a transparência do processo e amenizar ansiedade dos trabalhadores A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) enviou, nesta terça-feira (11), um ofício à Caixa Econômica Federal solicitando informações sobre o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) do banco. No ofício, a Contraf-CUT observa que “o prazo de adesão” ao PDV “se […]

Leia mais

Sindicatos filiados