Itaú fecha 708 empregos no primeiro trimestre, chegando a 14 mil em 2 anos

02.05.2013

O Itaú apresentou lucro líquido recorrente de R$ 3,512 bilhões no primeiro trimestre, praticamente o mesmo (redução de 0,9%) em relação a igual período de 2012. Esse resultado representa uma rentabilidade anualizada de 19,1%, o dobro da rentabilidade média das instituições financeiras dos Estados Unidos e da Europa. Mesmo assim, o maior banco privado do […]

O Itaú apresentou lucro líquido recorrente de R$ 3,512 bilhões no primeiro trimestre, praticamente o mesmo (redução de 0,9%) em relação a igual período de 2012. Esse resultado representa uma rentabilidade anualizada de 19,1%, o dobro da rentabilidade média das instituições financeiras dos Estados Unidos e da Europa. Mesmo assim, o maior banco privado do país eliminou mais 708 postos de trabalho nos primeiros três do ano. Com isso, já são 14.407 empregos cortados pelo Itaú desde março de 2011.

Segundo a empresa EFC Consultores, em reportagem publicada pelo jornal Brasil Econômico de 13 de março último, a rentabilidade média dos bancos norte-americanos e europeus varia entre 9% e 10%. Esses números coincidem com estudo realizado pela consultoria Economática, segundo o qual as instituições financeiras dos Estados Unidos apresentaram um retorno sobre o patrimônio de 9,93% na média, em 2012.

A economia brasileira gerou 1,3 milhões de novos empregos em 2012, segundo dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged) do Ministério do Trabalho.

Cresce ganho com tarifas

O Itaú aumentou as receitas de prestação de serviço em 9,4% no primeiro trimestre, em contraste com crescimento de 16,95% nas rendas de tarifas bancárias. As despesas de pessoal, por sua vez, tiveram crescimento de 7,6%, atingindo R$ 3,65 bilhões. Esses resultados impactaram na elevação da cobertura dessas despesas, que passou de 147,5% para 152,9%. Isso significa que o banco paga todas as despesas de pessoal apenas com receitas de serviços e tarifas com um excedente equivalente a 52,9% da soma destas receitas.

O índice de inadimplência superior a 90 dias passou de 5,1% em março do ano passado para 4,5% agora (-0,1 p.p.). Com isso, as despesas de PDD tiveram redução de 18%, somando R$ 4,945 bilhões em março de 2013.

Gastos com segurança

Em março de 2013, o banco gastou o equivalente a 3,73% do seu lucro líquido em despesas com segurança, num total de R$ 131 milhões. Em março de 2012, foram gastos R$ 133 milhões nessas despesas, o que representou 3,75% do lucro registrado naquele ano.

Veja abaixo a comparação feita pelo Dieese entre os balanços do Itaú do primeiro trimestre de 2013 em relação ao mesmo período do ano passado.

Fonte: Contraf 

Notícias Relacionadas

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Campanha Nacional: Bancários definem temas das próximas negociações com os bancos

Demissão em massa pelo Mercantil do Brasil no Rio de Janeiro; abono do banco de horas negativas e retirada de pauta do PL 1043/2019, também foram pautas do primeiro dia de negociação O Comando Nacional dos Bancários definiu nesta quarta-feira (22), os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados