Juros sobem pela 10ª vez seguida e são os maiores desde agosto de 2012

10.04.2014

Do Uol As taxas de juros cobradas em empréstimos e financiamentos subiram em março, segundo pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). Os juros médios cobrados dos consumidores tiveram alta de 0,04 ponto percentual, passando de 5,82% ao mês em fevereiro (97,16% ao ano) para 5,86% ao mês em março […]

Do Uol

As taxas de juros cobradas em empréstimos e financiamentos subiram em março, segundo pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Os juros médios cobrados dos consumidores tiveram alta de 0,04 ponto percentual, passando de 5,82% ao mês em fevereiro (97,16% ao ano) para 5,86% ao mês em março (98,05% ao ano).

A alta de março foi a terceira do ano e a décima elevação seguida. O índice médio registrado é o maior desde agosto de 2012.

Cartão de crédito tem taxa mais elevada
Das seis linhas de crédito para pessoa física pesquisadas pela Anefac, cinco tiveram os juros elevados. São elas: juros do comércio, cheque especial, CDC de bancos para financiamento de automóveis, empréstimo pessoal de bancos e empréstimo pessoal de financeiras.

A taxa do rotativo do cartão de crédito foi a única que não subiu, ficando estável. Ainda assim, ela é a maior entre as pesquisadas: 10,08% ao mês, ou 216,59% ao ano.

Para o diretor-executivo de estudos e pesquisas econômicas da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira, as elevações foram motivadas pelos aumentos da taxa básica de juros, a Selic, pelo cenário com tendência negativa da economia e pela expectativa de piora nos índices de inflação e de crescimento econômico.

Juros cobrados das empresas também subiram
No caso dos juros cobrados das empresas, todas as três linhas de crédito pesquisadas pela Anefac tiveram alta.

A taxa de juros média geral para pessoa jurídica apresentou uma elevação de 0,03 ponto percentual no mês, saindo de 3,32% em fevereiro (47,98% ao ano) para para 3,35% em março (48,50% ao ano).

É a maior média registrada desde agosto de 2012.

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados