Lucro da Caixa cresce 19,2% no ano passado e chega a R$ 6,7 bi

27.03.2014

MARIANA CARNEIRO | Folha de S.Paulo  A Caixa informou nesta quarta-feira (26) que obteve um lucro líquido de R$ 6,7 bilhões no ano passado, 19,2% maior do que o registrado em 2012. Esse é o resultado ajustado, ou seja, que retira os efeitos de mudanças contábeis do resultado. Sem os ajustes, o lucro cresceu 10,8% […]

MARIANA CARNEIRO | Folha de S.Paulo 

A Caixa informou nesta quarta-feira (26) que obteve um lucro líquido de R$ 6,7 bilhões no ano passado, 19,2% maior do que o registrado em 2012.

Esse é o resultado ajustado, ou seja, que retira os efeitos de mudanças contábeis do resultado. Sem os ajustes, o lucro cresceu 10,8% no ano passado.

A carteira de crédito aumentou 36,8%, ante 42% de expansão no ano anterior, para R$ 494,2 bilhões.

A previsão do banco é reduzir a ampliação da carteira de crédito para o intervalo entre 22% e 25% neste ano.

Isso se deve ao próprio aumento já verificado no passado na carteira de empréstimos, justificou o presidente do banco, Jorge Hereda.

"É muito mais fácil crescer uma carteira que, em 2008, era de R$ 78 bilhões, do que ampliar hoje uma carteira de R$ 492 bilhões, que é a segunda maior do país".

O governo federal não deve aportar novos recursos no banco neste ano, uma vez que está enfrentando dificuldades na gestão de suas finanças. Com menos dinheiro de seu controlador, é mais difícil para a Caixa aumentar o volume de empréstimos ao mesmo ritmo do passado.

Hereda disse, contudo, que a Caixa não precisa de capital novo do governo neste ano para cumprir suas metas de crescimento da carteira de crédito.

"Nós damos crédito com os recursos que captamos, nós não dependemos do governo federal para dar crédito", afirmou.

Editoria de Arte/Folhapress

CALOTES

A inadimplência total (acima de 90 dias) da Caixa ficou em 2,3%, acima dos 2,1% vistos no final de 2012.

O movimento foi na contramão do observado pelo Banco do Brasil, que viu o nível de calotes acima de 90 dias passar de 2,05% em 2012 para 1,98% em 2013.

A redução da inadimplência também foi registrada pelo Bradesco e pelo Itaú Unibanco, cujas taxas caíram para os menores níveis em cinco anos em dezembro, para 3,5% e 3,7%, respectivamente.

Já o Santander Brasil fechou 2013 com o menor nível de calotes desde a conclusão da fusão com o Banco Real, em 2009, de 3,7%.

REVISÃO DE 2012

Por determinação do Banco Central, a Caixa teve que fazer um ajuste em seu resultado de 2012. O lucro ajustado do ano foi revisto de R$ 6,066 bilhões para R$ 5,640 bilhões.

Isso porque a Caixa teve que retirar de seu patrimônio líquido receitas de R$ 719 milhões, um valor obtido com o encerramento de contas correntes por irregularidade cadastral.

A alteração foi determinada pelo BC no fim do ano passado e foi um dos motivos apresentados pelo presidente, Jorge Hereda, para a demora na apresentação do balanço do banco neste ano.

Segundo o diretor de controladoria da Caixa, Paulo Henrique Costa, as normas contábeis dizem para fazer o ajuste do resultado, mas não é necessário reabrir o balanço do banco. Esse ajuste foi totalmente feito em 2013.

Esse valor foi descontado de impostos e direcionado a uma rubrica chamada "conta representativa de depósito". O valor líquido que está nessa conta é R$ 426 milhões.Ainda não existe uma norma que diga aos bancos o que fazer com esses recursos. 

Notícias Relacionadas

Trabalhadores do Itaú entregam pauta específica de reivindicações no dia 25

Documento é resultado do encontro nacional, realizado em São Paulo, no dia 6 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai entregar a minuta específica de reivindicações ao Itaú na próxima terça-feira (25). O documento servirá de base para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco. As reivindicações foram […]

Leia mais

Intransigência da Caixa encerra negociações sobre redução de jornada para pais/mães e responsáveis por PcD e neurodivergentes (TEA)

Banco retira da proposta a concessão para empregados PcD, impõe uma série de travas para permitir a redução da jornada para pais/mães/responsáveis de PcD e encerra mesa de negociações após receber questionamentos sobre pontos sensíveis da proposta A reunião que negociaria a redução de jornada para empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal com deficiência […]

Leia mais

Caixa afirma que contencioso é insignificante, mas dados disponíveis demonstram o oposto

Fonte: APCEF/SP com informações da Fenae Em uma live realizada nesta terça-feira (18), a Funcef (Fundação dos Economiários Federais) e a Caixa anunciaram que estão abordando o contencioso trabalhista. Segundo Leonardo Groba, diretor jurídico da Caixa, o contencioso atual estaria estimado em cerca de R$ 500 milhões, “não tem grandes proporções, mas a Caixa possui […]

Leia mais

Sindicatos filiados