Lucro do Citi cresce 30% no 1° trimestre, para US$ 3,8 bilhões

16.04.2013

SÃO PAULO – O Citigroup registrou no primeiro trimestre lucro líquido de US$ 3,8 bilhões, ou US$ 1,23 por ação, o que representa um crescimento de 30% em relação ao mesmo período do ano passado e três vezes o resultado do trimestre anterior, com uma melhora da receita na unidade de mercado de capitais. Ao […]

SÃO PAULO – O Citigroup registrou no primeiro trimestre lucro líquido de US$ 3,8 bilhões, ou US$ 1,23 por ação, o que representa um crescimento de 30% em relação ao mesmo período do ano passado e três vezes o resultado do trimestre anterior, com uma melhora da receita na unidade de mercado de capitais.

Ao se excluir um encargo de US$ 198 milhões por ajustes no valor da dívida do próprio Citi, o resultado de US$ 1,29 por ação ficou acima da previsão de analistas, que era US$ 1,17 por ação.

A receita do primeiro trimestre aumentou 3% na comparação anual e 12% ante o quarto trimestre, em parte porque o Citi liberou US$ 652 milhões provisionados anteriormente para perdas com empréstimos, o que ajudou o resultado.

As receitas líquidas de juros permaneceram estáveis em relação ao ano anterior. A medida, considerada estratégica para bancos, vem se mostrando pressionada em todo o setor devido às baixas taxas de juros e à lenta recuperação econômica.

As despesas operacionais do Citi aumentaram 1% em relação a um ano antes, mas caíram 3% ante o quarto trimestre, para US$ 12,4 bilhões.

“Itens estratégicos para se olhar no trimestre serão os gastos, provisões para devedores duvidosos e a receita de mercado de capitais”, disse John McDonald, analista da Sanford Bernstein & Co, em um relatório enviado a clientes antes de o Citi publicar o resultado.

As ações do Citi, que perderam valor durante a crise financeira, se valorizaram 13% este ano até o fechamento de sexta-feira.

Fonte: Valor Econômico 

Notícias Relacionadas

Campanha Nacional: Combate ao Assédio Moral volta a ser negociado com Federação Nacional dos Bancos (Fenaban)

Bancos negam que causa de adoecimento está relacionada à cobrança de metas O Comando Nacional dos Bancários se reuniu com a Federação Nacional dos Bancos nesta segunda-feira (15), para mais uma negociação. O combate ao assédio moral foi novamente tema do debate. Apesar de mais uma vez os bancos negarem que a causa do adoecimento […]

Leia mais

CEBB negocia com o banco cláusulas econômicas e representação sindical

Ao término da negociação, bancários leram manifesto pela democracia Bancários do Banco do Brasil se reuniram nesta sexta-feira (12) com o banco para mais uma negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Banco do Brasil e do aditivo à […]

Leia mais

Federação dos Bancários orienta Sindicatos para realização de lives na próxima semana

Objetivo é promover o dialogo com a categoria e fortalecer pautas de luta na Campanha Nacional Conforme orientação do Comando Nacional, todo o movimento sindical deve dialogar com a categoria na próxima semana. A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, reforça o pedido para os seus 23 sindicatos filiados, para […]

Leia mais

Sindicatos filiados