Mais uma agência de negócios do Itaú paralisada em Campinas

20.05.2014

  Os bancários da agência Fórum do Itaú em Campinas, transformada em agência de negócios, iniciaram na manhã desta segunda-feira (19) paralisação do atendimento por tempo indeterminado. A exemplo da agência Botafogo, que também virou agência de negócios e entra hoje no sétimo dia de paralisação, a Fórum protesta contra a retirada da porta giratória, […]

 

Os bancários da agência Fórum do Itaú em Campinas, transformada em agência de negócios, iniciaram na manhã desta segunda-feira (19) paralisação do atendimento por tempo indeterminado. A exemplo da agência Botafogo, que também virou agência de negócios e entra hoje no sétimo dia de paralisação, a Fórum protesta contra a retirada da porta giratória, com dispositivo de alarme detector de metais.

A paralisação dos funcionários nas duas agências, coordenada pelo Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, tem como objetivo a reinstalação do equipamento de segurança, retirado pelo Itaú ao mudar o perfil da unidade bancária para a denominada Agência de Negócios. Segundo o Banco das famílias Setubal, Vilella e Salles, para justificar a medida, não circula dinheiro em espécie nesse novo modelo de agência. Mas, curiosamente, tem caixas eletrônicos. E mais: em algumas unidades, caso da agência Botafogo, não existe sequer vigilante. A retirada da porta desrespeita a lei municipal nº 7.605 (de 09/09/1993) e a ausência de vigilante fere a lei federal nº 7.102, que trata da segurança em estabelecimentos financeiros e do serviço de vigilância.

Para o vice-presidente do Sindicato, Mauri Sérgio, a medida do Itaú é ilegal. “A decisão do Itaú em retirar a porta giratória e suspender o serviço de vigilância fragiliza o ambiente de trabalho. A atividade bancária é regulamentada e existem normas de segurança. Não podemos aceitar essa alteração, que representa ameaça à vida de clientes, usuários e funcionários. Inclusive o Sindicato já encaminhou pedido de fiscalização aos órgãos competentes”. O vice-presidente se refere ao Procon Campinas, a Delegacia de Controle de Segurança Privada (Delesp), ligada à Polícia Federal (PF), e à Divisão de Uso e Ocupação do Solo (Duos), da Secretaria Municipal de Urbanismo.

Federação cobra suspensão das Agências de Negócios
A Federação dos Bancários de SP e MS solicitou ao superintendente de Relações Sindicais do Itaú, Marco Aurélio Oliveira, que seja suspensa a implantação das chamadas Agências de Negócios, projetadas sem porta giratória e sem serviço de vigilante. A solicitação foi apresentada durante reunião na sede da Federação, no último dia 14. O superintendente do Itaú reconheceu a vulnerabilidade das agências e se comprometeu em apresentar o pedido à diretoria do Itaú. Um dia antes (13) a Contraf-CUT fez a mesma solicitação ao superintendente Marco Aurélio Oliveira, durante reunião da Comissão de Organização dos Empregados (COE) e representantes do Itaú.

Dado: Em todo o país, já foram implantadas 200 agências de negócios e mais 150 estão em fase de planejamento.

Jairo Gimenez – Sindicato dos Bancários de Campinas 
Foto: Júlio César Costa 

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados