Manifestação exige segurança e garantia de emprego nas agências de negócios do Itaú

13.06.2014

O Sindicato dos Bancários de Campinas e Região coordenou na manhã desta quinta-feira, dia 12, manifestação em frente a agência de negócios Fórum do Itaú (Av. Francisco Glicério com Av. Campos Sales), em Campinas, para exigir segurança e garantia de emprego. O ato de protesto aconteceu no 30º dia de paralisação da agência de negócios […]

Foto: Júlio César Costa

O Sindicato dos Bancários de Campinas e Região coordenou na manhã desta quinta-feira, dia 12, manifestação em frente a agência de negócios Fórum do Itaú (Av. Francisco Glicério com Av. Campos Sales), em Campinas, para exigir segurança e garantia de emprego. O ato de protesto aconteceu no 30º dia de paralisação da agência de negócios Botafogo (Av. Barão de Itapura), deflagrada no dia 13 de maio passado depois que o Banco das famílias Setubal, Vilella e Salles decidiu retirar a porta de segurança com detector de metais e desativou o serviço de vigilante. Além da agência Botafogo, outras duas estão fechadas desde o dia 19 de maio: a agência de negócios Fórum, em Campinas, onde aconteceu a manifestação, e a Bernardino de Campos, em Itapira.

Durante a manifestação, os diretores do Sindicato distribuíram carta aberta à população, abordando a alta lucratividade do Itaú, as demissões, o adoecimento dos bancários em decorrência das metas abusivas e os juros e tarifas escorchantes cobrados dos clientes. Em 2013, o Itaú lucrou R$ 15,8 bilhões e, nos últimos 15 meses, fechou 3.500 postos de trabalho. E mais: no período de dezembro de 2011 a março deste ano, demitiu 11.402 bancários. Para ilustrar o atual quadro, a situação vivida pelos funcionários, os diretores distribuíram também fatias de abacaxi aos transeuntes.
Justiça obriga Itaú reativar serviço de segurança

A juíza Roberta Confetti Gastsios Amstalden, da 4ª Vara do Trabalho de Campinas, concedeu no dia 29 de maio último antecipação de tutela em ação ingressada pelo Sindicato, determinando que o Itaú reinstale porta de segurança com dispositivo detector de metais e reative o serviço de vigilantes na agência Botafogo no prazo de 20 dias. Em sua sentença, a juíza estabelece multa de R$ 50 mil por dia, a ser revertida ao Centro Corsini de Campinas, caso o Itaú descumpra a determinação no prazo estabelecido.

A decisão do Itaú em retirar porta de segurança das agências de negócios, sob o argumento que não circula dinheiro em espécie, desrespeita a lei municipal nº 7.605 (de 09/09/1993), em Campinas. E a suspensão do serviço de vigilante fere a lei federal nº 7.102, que trata da segurança em estabelecimentos financeiros e do serviço de vigilância. Isso porque o Itaú mantém nesse novo modelo de agências os caixas eletrônicos.

Jairo Gimenez – Sindicato de Campinas 

Notícias Relacionadas

CEBB negocia com o banco cláusulas econômicas e representação sindical

Ao término da negociação, bancários leram manifesto pela democracia Bancários do Banco do Brasil se reuniram nesta sexta-feira (12) com o banco para mais uma negociação da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico dos trabalhadores do Banco do Brasil e do aditivo à […]

Leia mais

Federação dos Bancários orienta Sindicatos para realização de lives na próxima semana

Objetivo é promover o dialogo com a categoria e fortalecer pautas de luta na Campanha Nacional Conforme orientação do Comando Nacional, todo o movimento sindical deve dialogar com a categoria na próxima semana. A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, reforça o pedido para os seus 23 sindicatos filiados, para […]

Leia mais

Negociações entre COE Santander e banco avançam

Esforço dos sindicatos foi fundamental para o avanço de pautas especificas para mulheres Nesta sexta-feira (12), representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander se reuniu com o banco para dar continuidade às negociações da Campanha Nacional dos Bancários 2022, que tem por objetivo a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico […]

Leia mais

Sindicatos filiados