Mercantil recua em relação à meta de PLR

23.06.2023

Após formalização, proposta seguirá para deliberação em assembleias   A Comissão de Organização dos Empregados do Mercantil (COEBMB) e a direção do banco se reuniram ontem (21), para tratar do programa próprio de PLR 2023. A reunião resultou em dois avanços, o primeiro sobre o aumento expressivo das metas de lucro para 2023. Após cobranças […]

Após formalização, proposta seguirá para deliberação em assembleias  

A Comissão de Organização dos Empregados do Mercantil (COEBMB) e a direção do banco se reuniram ontem (21), para tratar do programa próprio de PLR 2023.

A reunião resultou em dois avanços, o primeiro sobre o aumento expressivo das metas de lucro para 2023. Após cobranças dos sindicatos, o banco recuou e aceitou reduzir a meta do Mercantil de R$ 330 milhões para R$ 300 milhões. O segundo avanço conquistado foi quanto à alteração no quadro de múltiplos salariais, aumentando a possibilidade de distribuição mínima de 2 salários para os cargos de agente de atendimento, supervisor administrativo de agência, caixa, staff e demais cargos em caso de cumprimento das regras do programa próprio.

Após formalização, proposta seguirá para deliberação em assembleias. “A COE vai solicitar ao banco a formalização das propostas alcançadas após negociação e na sequencia, assembleias serão convocadas para que todos participem democraticamente da avaliação, votando a favor ou contra o acordo”, explica a representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Jaquelini Bertanha.

Outras reivindicações

Durante a reunião os trabalhadores questionaram, ainda, sobre a margem financeira líquida, que não era prevista nos acordos anteriores. De acordo com o banco, o indicador para medir a diferença entre rendimentos gerados por ativos e custos é mais uma possibilidade de ganho para os funcionários, posto que a meta de 19% para realização já está praticamente batida em 2023.

Também foi reivindicada a redução do gatilho para o cumprimento da meta de 80% para 70% do realizado. Para esta questão, o Mercantil não aceitou o pleito dos funcionários.

Com relação a meta de Investimentos, a direção argumentou que não é possível alterar o objetivo de R$ 7 milhões, pois ele está dentro da realidade devido à especificidade de atuação da empresa.

Pela regra dos acordos próprios de PLR, nenhum funcionário poderá receber valores menores que os estipulados na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria.

Nesta quinta-feira a COEBMB se reuniu para analisar as propostas. A representação dos trabalhadores responderá ao banco até amanhã (23), se levará a proposta em assembleias de funcionárias e funcionários.

De acordo com a COEBMB, apesar da dificuldade da negociação é possível observar avanços.

Em caso de aprovação e cumprimento das metas estabelecidas, o banco deverá pagar a primeira parcela da PLR até o dia 30 de setembro, e a segunda parcela até o dia 1º de março de 2024, conforme previsto na convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Feeb SP/MS, com informações Contraf Cut e SEEB/BH 

Notícias Relacionadas

SANTANDER: Banco anuncia avanços em reunião com representantes dos funcionários

Negociações com a COE avança em medidas de benefício e capacitação O Santander anunciou nesta quinta-feira (22), durante a reunião com representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE) Santander, avanços em medidas que beneficiam os funcionários. O encontro ocorreu em formato híbrido e contou com a participação de representantes dos funcionários e do banco. […]

Leia mais

BB prioriza diversidade na expansão das Gepes

Mulheres, negros, indígenas e PcDs terão prioridade no programa que irá dobrar a rede de Gestão de Pessoas O Banco do Brasil anunciou, nesta quarta-feira (21), um programa de expansão da rede de Gestão de Pessoas (Gepes). Durante a reunião com membros da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), o banco […]

Leia mais

COE do Bradesco discute reestruturação no banco

 Sindicato expressa preocupação com direção futura da instituição financeira A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco se reuniu na última terça-feira (20), na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), em São Paulo, para discutir a reestruturação anunciada pelo novo presidente do banco, Marcelo Noronha, em 7 de fevereiro, sem […]

Leia mais

Sindicatos filiados