Minuta de reivindicações é aprovada durante 22ª Conferência Nacional

19.07.2020

Principais aprovações incluem reivindicação do reajuste de 5% de aumento real (inflação + 5%), regularização do teletrabalho e revisão de metas abusivas A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul participou na última sexta (17) e sábado (18), da 22ª Conferência Nacional dos Bancários, realizada pela […]

Principais aprovações incluem reivindicação do reajuste de 5% de aumento real (inflação + 5%), regularização do teletrabalho e revisão de metas abusivas

A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul participou na última sexta (17) e sábado (18), da 22ª Conferência Nacional dos Bancários, realizada pela primeira vez por videoconferência. A programação incluiu uma série de debates, que fortaleceram o plano de lutas da categoria.

“Agradecemos e parabenizamos a todos os sindicatos e seus presidentes pela participação e envio de delegados que contribuíram para a construção da nossa minuta durante as programações da Conferência Interestadual, dos Congressos dos bancos públicos (BB e CEF), do Encontro de bancos privados (Itaú, Bradesco e Santander) e agora, da Conferência Nacional", destaca o presidente da Feeb SP/MS, Jeferson Boava.  

Após a aprovação da minuta, o próximo passo é a realização das assembleias de aprovação agendadas para os próximos dias 20 e 21. Passado esse processo, o documento é direcionado para a Fenaban/Febraban, na próxima quinta-feira, 23. 

Outras aprovações
A programação aprovou a reivindicação de reajuste de inflação mais 5% de aumento real nos salários e todas as cláusulas econômicas. A inclusão na minuta da cláusula que regula o teletrabalho ou home office também foi aprovada. Entre as defesas está a proibição da retirada dos direitos dos trabalhadores que cumprirem suas funções em suas casas, à exceção do vale-transporte/combustível, que deve ser fornecido com valor proporcional aos dias de comparecimento do trabalhador no banco, definindo que estes tenham de realizar suas atividades no próprio local de trabalho, pelo menos, uma vez por semana.

A questão das metas abusivas foi outro assunto defendido e enfatizado pela categoria, que aprovou a proposta para que seja feita uma atualização da cláusula referente à cobrança as metas pelos bancos, uma vez que a luta pela saúde e melhores condições de trabalho é um dos eixos da campanha.

Outros eixos
A campanha terá como prioridade a manutenção dos empregos e dos direitos, a defesa dos bancos públicos e o reajuste do valor da Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR) pelo mesmo índice da campanha.

Demais cláusulas
As demais cláusulas hoje presentes na CCT foram mantidas na minuta de reivindicações.

Moções
Os delegados também aprovaram cinco moções. Uma em solidariedade às famílias das vítimas do Covid-19; uma contra o racismo estrutural e pelo fim da violência policial; uma de repúdio ao Banco Santander; e uma de apoio ao meio ambiente, aos povos indígenas e aos quilombolas.

Resoluções
Também foram aprovadas três resoluções. Uma em defesa dos bancos públicos; uma para conclamar dirigentes e militantes sindicais a realizar um efetivo engajamento nas eleições 2020 e uma pelo Fora Bolsonaro!

 

Notícias Relacionadas

Trabalhadores do Itaú entregam pauta específica de reivindicações no dia 25

Documento é resultado do encontro nacional, realizado em São Paulo, no dia 6 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai entregar a minuta específica de reivindicações ao Itaú na próxima terça-feira (25). O documento servirá de base para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco. As reivindicações foram […]

Leia mais

Intransigência da Caixa encerra negociações sobre redução de jornada para pais/mães e responsáveis por PcD e neurodivergentes (TEA)

Banco retira da proposta a concessão para empregados PcD, impõe uma série de travas para permitir a redução da jornada para pais/mães/responsáveis de PcD e encerra mesa de negociações após receber questionamentos sobre pontos sensíveis da proposta A reunião que negociaria a redução de jornada para empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal com deficiência […]

Leia mais

Caixa afirma que contencioso é insignificante, mas dados disponíveis demonstram o oposto

Fonte: APCEF/SP com informações da Fenae Em uma live realizada nesta terça-feira (18), a Funcef (Fundação dos Economiários Federais) e a Caixa anunciaram que estão abordando o contencioso trabalhista. Segundo Leonardo Groba, diretor jurídico da Caixa, o contencioso atual estaria estimado em cerca de R$ 500 milhões, “não tem grandes proporções, mas a Caixa possui […]

Leia mais

Sindicatos filiados