Movimento sindical cobra condições de trabalho durante edição “Desendivida” do Santander

08.02.2023

 O Banco realiza nesta semana mais uma edição do “Desendivida”, com horários estendidos aos funcionários O movimento sindical cobrou do Santander a garantia das condições de saúde e de segurança para os trabalhadores durante a nova edição do “Desendivida”. Sem nenhuma negociação prévia com a representação dos trabalhadores, o Santander encaminhou comunicado institucional aos seus […]

 O Banco realiza nesta semana mais uma edição do “Desendivida”, com horários estendidos aos funcionários

O movimento sindical cobrou do Santander a garantia das condições de saúde e de segurança para os trabalhadores durante a nova edição do “Desendivida”. Sem nenhuma negociação prévia com a representação dos trabalhadores, o Santander encaminhou comunicado institucional aos seus funcionários, na sexta-feira (3), informando sobre a nova edição do programa de negociação de dívidas.

A atividade teve início na última segunda-feira (6) e segue até a próxima sexta-feira (10). Neste período, o horário de trabalho foi estendido e as agências funcionam para atendimento das 9h às 18h.

O movimento sindical cobrou, ainda, que as horas de trabalho sejam devidamente registradas, uma vez que o próprio banco optou pela compensação de horas e não pelo pagamento de horas extras aos trabalhadores. “O ideal é que as horas registradas fossem pagas e não compensadas, mas uma vez imposta pelo banco, a regra deve ser cumprida a fim de que nenhum funcionário seja prejudicado com as decisões tomadas pelo banco sem qualquer negociação”, destaca Patrícia Bassanin, representante da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, na Comissão de Organização dos Empregados (COE) Santander.

Para garantir que os funcionários não sejam prejudicados, sindicatos acompanham ao longo da semana o expediente estendido e orienta trabalhadores quanto a possíveis excessos.

Desendivida

O programa foi criado pelo Santander no início de 2022. Na ocasião, o banco tentou abrir as agências aos sábados, o que motivou uma série de ações judiciais, que resultarem em liminares impedindo a abertura das agências.

Procure o Sindicato

Os sindicatos se colocam à disposição dos trabalhadores que verificarem empecilhos na compensação de horas ou situação que venha a prejudicá-los.

Com informações: Contraf Cut, editado por Feeb SP/MS.

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados