Movimento sindical discute saúde dos bancários com bancos

29.10.2020

Demissões e interpretação da cláusula 29 da CCT também foram debatidas Representantes do movimento sindical estiveram reunidos nesta quarta-feira, 28, junto com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para discutirem a Saúde dos bancários neste período da pandemia do novo coronavírus. A reunião aconteceu de forma virtual e contou com a participação da Federação dos […]

Demissões e interpretação da cláusula 29 da CCT também foram debatidas

Representantes do movimento sindical estiveram reunidos nesta quarta-feira, 28, junto com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para discutirem a Saúde dos bancários neste período da pandemia do novo coronavírus. A reunião aconteceu de forma virtual e contou com a participação da Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP MS). “Estamos todos preocupados com uma nova onda de disseminação da Covid-19, por isso a reivindicação em maior rigor nas medidas de proteção à vida dos bancários”, destaca Gustavo Frias, representante da Feeb SP MS.

De acordo com o movimento sindical, além de afrouxar as medida de proteção, os bancos tem convocado trabalhadores que integram ou coabitam com pessoas do grupo de risco a retornarem ao trabalho presencial.
Durante a reunião, a Fenaban assumiu compromisso de reorientar os bancos sobre as medidas de prevenção.

Cláusula 29ª e demissões
Outro ponto levantado pelos sindicatos foi a interpretação da cláusula 29ª da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), referente à complementação de auxílio-doença previdenciário e auxílio-doença acidentário ao bancário afastado do trabalho para tratamento de saúde. Em função da pandemia, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) fechou agências e antecipou o valor de um salário mínimo nacional, mediante apresentação de atestado médico, com previsão de perícia futura para o pagamento do valor restante do benefício.

De acordo com os sindicatos, a cláusula 29ª da CCT deve ser respeitada/paga e com todos os reflexos (PLR, VR/VA). Para a Fenaban, a situação remete à cláusula 65ª da CCT, que trata do adiantamento emergencial de salário nos períodos transitórios especiais de afastamento por doença. “O problema é que os bancos estão cobrando toda a diferença de salário pago ao trabalhador, resultando em endividamento. Mais grave ainda é a situação dos bancários que não receberam nenhuma complementação salarial dos bancos, além dos R$ 1.045,00 (salário mínimo nacional)”, explica o representante da Feeb.

Os sindicatos reivindicaram o parcelamento da devolução dos valores antecipados pelos bancos, durante o afastamento do trabalho, caso seja devido e apontaram demissões de trabalhadores adoecidos sem nenhum critério ou avaliação. De acordo com o movimento sindical, os exames demissionais ocorrem de forma abusiva e sem ética. A Fenaban se prontificou a analisar as reivindicações e os problemas apontados.

 

Notícias Relacionadas

Santander implementa teletrabalho em áreas administrativas

Modalidade é válida para áreas administrativas e contemplam eixo São Paulo e Rio de Janeiro O Santander anunciou que irá implementar o teletrabalho (home office). A modalidade é válida para bancários das áreas administrativas, lotados majoritariamente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro, segundo as regras previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. As […]

Leia mais

Santander paga PLR e demais adicionais no dia 28 de fevereiro

Representantes da Comissão de Organização de Empregados (COE/Santander) foram informados nesta terça-feira (01), sobre a data de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). O valor será creditado no dia 28 deste mês. Junto com a PLR bancárias e bancários do Santander receberão os percentuais do Programa Próprio de Resultados do Santander (PPRS), do […]

Leia mais

Feeb SP/MS monta grupo de trabalho para discutir metas com Banco Itaú

Prazo para organização de grupos de representação se encerrou no último dia 31 Bancários representados pela Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul formalizaram o pedido junto ao banco para montagem de um grupo de trabalho para discussão de metas. De acordo com a cláusula 87 da Convenção Coletiva […]

Leia mais

Sindicatos filiados