Negociação com o Santander: representantes cobram contraproposta que atenda necessidades dos trabalhadores

07.07.2016

Na última quarta-feira (06), a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS), integrou a mesa de negociação com o Banco Santander, que discutiu a renovação do Acordo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Cristiano Meibach, membro da Comissão de Organização dos Empregados do Santander (COE Santander), representou a FEEB-SP/MS […]

Na última quarta-feira (06), a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (FEEB-SP/MS), integrou a mesa de negociação com o Banco Santander, que discutiu a renovação do Acordo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Cristiano Meibach, membro da Comissão de Organização dos Empregados do Santander (COE Santander), representou a FEEB-SP/MS na mesa.
Programa Participação Resultados Santander (PPRS), bolsa de estudos, Avaliação de Qualidade Operacional foram alguns dos temas tratados.

Os representantes dos trabalhadores consideraram a contraposta apresentada pelo banco espanhol é insuficiente e que, portanto, não atende às necessidades dos funcionários.

Propostas

Programa Participação Resultados Santander (PPRS) – o banco propôs manter o mesmo valor, sem reajuste;

Bolsas de estudo – a proposta inicialmente atrelava a nota de avaliação de desempenho e cumprimento de metas à concessão da bolsa de estudos. A representação foi contrária a essa imposição e conseguiu que o banco retirasse o entrave, porém, o benefício manteve o mesmo valor, sem reajuste.

Avaliação

“Reiteramos que a contra proposta é insuficiente e precisa melhorar, entendemos que tem que haver uma distribuição mais justa na PPRS; transparência na AQO (Avaliação de Qualidade Operacional); regras claras e objetivas que não sejam alteradas conforme a vontade de seus gestores; queremos também que as férias e os afastamentos não entrem na avaliação do funcionário no atingimento de suas metas”, avaliou Meibach.

Reivindicações

Garantia de emprego, fim do banco de horas, aumento do patamar mínimo da PPRS, melhorias nos programas de retorno ao trabalho após licença médica, administração dos planos de benefícios pelo Banesprev, entre outros, são pautas da minuta entregue ao Santander, no último dia 13 de maio.

O movimento sindical também reivindica a inclusão no acordo aditivo, de cláusula específica que assegure a discussão sobre o Programa de Desenvolvimento Organizacional para Melhoria Contínua das Relações de Trabalho – cláusula 58 da CCT dos bancário

 

Notícias Relacionadas

Dirigentes da base da Feeb-SP/MS recebem segundo módulo do curso de formação da Contraf-CUT

Programa trata da estruturação histórica das organizações sindicais e da luta dos trabalhadores O Curso de Formação Sindical para Dirigentes, da Secretaria de Formação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), estreia o seu segundo módulo nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) para as bases da Federação dos Bancários de São Paulo […]

Leia mais

Bancários se preparam para Conferência Nacional da categoria

Consulta aos trabalhadores nas bases sindicais de todo o país e conferências estaduais e regionais servirão de subsídio para os debates nacionais que levarão à construção da pauta de reivindicações e da estratégia da Campanha Nacional 2024 Bancárias e bancários de todo o país se reúnem, em São Paulo, entre os dias 4 e 9 […]

Leia mais

Lucro da Caixa cresceu 49% no 1º trimestre de 2024

Com 1,56 milhão de novos clientes e 168 empregados a menos no quadro de pessoal, aumenta também a sobrecarga A Caixa Econômica Federal anunciou na noite de quarta-feira (15) um lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões no primeiro trimestre de 2024, alta de 49,1% em comparação ao mesmo período de 2023 e de 0,5% em relação […]

Leia mais

Sindicatos filiados