Negociação com Santander sobre Aditivo e PPRS avança

06.12.2020

Na terceira rodada de negociação sobre o Aditivo à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) e PPRS com o Santander, realizada nesta sexta-feira (15/6), os bancários conseguiram garantir avanços. Além das atuais cláusulas, serão acrescidas ao Aditivo, que terá validade de dois anos, a igualdade de oportunidades, 2.500 bolsas de estudo (1º graduação; antes era de […]

Na terceira rodada de negociação sobre o Aditivo à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) e PPRS com o Santander, realizada nesta sexta-feira (15/6), os bancários conseguiram garantir avanços. Além das atuais cláusulas, serão acrescidas ao Aditivo, que terá validade de dois anos, a igualdade de oportunidades, 2.500 bolsas de estudo (1º graduação; antes era de 2.300), e vale-refeição e cesta-alimentação quando o funcionário utilizar a licença não remunerada de 30 dias para fins de acompanhamento de hospitalizado ou doença grave de parentes de primeiro grau e por afinidade. Quanto ao PPRS (Programa de Participação nos Resultados Santander), será de R$ 1.600,00 neste ano e R$ 1.600,00 mais o reajuste salarial a ser negociado com a Fenaban para 2013.

No que se refere ao grupo de trabalho do Santanderprevi, será mantido. Os sindicatos propuseram um novo prazo de até 60 dias após a assinatura do acordo para concluir os estudos visando a alteração do processo eleitoral. O objetivo é construir regras democráticas, a exemplo do Banesprev. Nova reunião sobre o Santanderprevi ficou agendada para ocorrer na última semana de junho.

Com o aditivo e o PPRS, são também assinados os termos de compromisso do Banesprev e Cabesp, que preveem a manutenção das duas entidades além dos prazos fixados no edital de privatização do Banespa, bem como o termo de compromisso de opção de migração ao Plano de Cargos e Salários (PCS).

Venda responsável de produtos
O Santander concordou ainda em assinar uma declaração conjunta com as entidades sindicais pela venda responsável de produtos e serviços financeiros, nos moldes do documento firmado no ano passado no Comitê de Empresa Europeu, em Madri, a partir da campanha mundial da UNI Sindicato Global.

Avaliação
Para o representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul na COE (Comissão de Organização dos Empregados), Cristiano Meibach, “conseguimos garantir avanços, inclusive a assinatura do termo sobre venda responsável de produtos. Sem falar que o Aditivo à CCT é o único negociado com um banco privado”.

Calendário
Dia 18: divulgação pela Contraf-CUT das orientações jurídicas aos sindicatos
Até dia 25: período de discussão da proposta e realização das assembleias pelos sindicatos
Dia 26: prazo final aos sindicatos para envio de procurações para a Contraf-CUT
Dia 28: data indicativa para assinatura do aditivo e PPRS


Com informações do 
SEEB Campinas e Contraf-CUT 

Leia também:

Primeira rodada de negociação sobre aditivo e PPRS com o Santander

Segunda rodada de negociação sobre aditivo com o Santander: a representação entendeu as propostas como insuficientes

Notícias Relacionadas

Após repercussão das denúncias de assédio sexual, Pedro Guimarães pede demissão

Testemunhos das vítimas vieram a público na terça-feira (28) e assustam pela quantidade de casos e pelo grau de desrespeito e crueldade; Ministério Público investiga em sigilo O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou seu pedido de demissão na tarde desta quarta-feira (29) ao presidente da república, Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada […]

Leia mais

NOTA OFICIAL

NOTA OFICIAL Pelo imediato afastamento de Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, e o acolhimento e preservação das vítimas Nós, bancárias de todo o Brasil, manifestamos nossa indignação pelos atos de assédio sexual praticados por Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal, que ganharam repercussão na noite de desta terça-feira, 28/06/2022, ao serem divulgados […]

Leia mais

Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul repudia ações de Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual

Além de apuração das denúncias, representação dos empregados pede afastamento do presidente da Caixa Após se tornar pública a acusação de assédio sexual feita por diferentes empregadas da Caixa Econômica Federal ao presidente Pedro Duarte Guimarães, a Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul, se solidariza com as vítimas e manifesta […]

Leia mais

Sindicatos filiados