Negociação com Santander sobre Aditivo e PPRS avança

06.12.2020

Na terceira rodada de negociação sobre o Aditivo à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) e PPRS com o Santander, realizada nesta sexta-feira (15/6), os bancários conseguiram garantir avanços. Além das atuais cláusulas, serão acrescidas ao Aditivo, que terá validade de dois anos, a igualdade de oportunidades, 2.500 bolsas de estudo (1º graduação; antes era de […]

Na terceira rodada de negociação sobre o Aditivo à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) e PPRS com o Santander, realizada nesta sexta-feira (15/6), os bancários conseguiram garantir avanços. Além das atuais cláusulas, serão acrescidas ao Aditivo, que terá validade de dois anos, a igualdade de oportunidades, 2.500 bolsas de estudo (1º graduação; antes era de 2.300), e vale-refeição e cesta-alimentação quando o funcionário utilizar a licença não remunerada de 30 dias para fins de acompanhamento de hospitalizado ou doença grave de parentes de primeiro grau e por afinidade. Quanto ao PPRS (Programa de Participação nos Resultados Santander), será de R$ 1.600,00 neste ano e R$ 1.600,00 mais o reajuste salarial a ser negociado com a Fenaban para 2013.

No que se refere ao grupo de trabalho do Santanderprevi, será mantido. Os sindicatos propuseram um novo prazo de até 60 dias após a assinatura do acordo para concluir os estudos visando a alteração do processo eleitoral. O objetivo é construir regras democráticas, a exemplo do Banesprev. Nova reunião sobre o Santanderprevi ficou agendada para ocorrer na última semana de junho.

Com o aditivo e o PPRS, são também assinados os termos de compromisso do Banesprev e Cabesp, que preveem a manutenção das duas entidades além dos prazos fixados no edital de privatização do Banespa, bem como o termo de compromisso de opção de migração ao Plano de Cargos e Salários (PCS).

Venda responsável de produtos
O Santander concordou ainda em assinar uma declaração conjunta com as entidades sindicais pela venda responsável de produtos e serviços financeiros, nos moldes do documento firmado no ano passado no Comitê de Empresa Europeu, em Madri, a partir da campanha mundial da UNI Sindicato Global.

Avaliação
Para o representante da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul na COE (Comissão de Organização dos Empregados), Cristiano Meibach, “conseguimos garantir avanços, inclusive a assinatura do termo sobre venda responsável de produtos. Sem falar que o Aditivo à CCT é o único negociado com um banco privado”.

Calendário
Dia 18: divulgação pela Contraf-CUT das orientações jurídicas aos sindicatos
Até dia 25: período de discussão da proposta e realização das assembleias pelos sindicatos
Dia 26: prazo final aos sindicatos para envio de procurações para a Contraf-CUT
Dia 28: data indicativa para assinatura do aditivo e PPRS


Com informações do 
SEEB Campinas e Contraf-CUT 

Leia também:

Primeira rodada de negociação sobre aditivo e PPRS com o Santander

Segunda rodada de negociação sobre aditivo com o Santander: a representação entendeu as propostas como insuficientes

Notícias Relacionadas

Conferência Interestadual aprova eixos para Conferência Nacional de 2024

Sindicatos dos Bancários debateram propostas e aprovaram pautas em defesa do trabalhador. Documento será apresentado em Conferência Nacional para discussão na Campanha Salarial de 2024 Delegações de 21 regionais dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul se reuniram nesta quinta e sexta-feira, 11 e 12 de abril, para debater propostas que serão […]

Leia mais

Abertura da Conferência Interestadual da Feeb SP/MS conta com delegações de 21 regionais

  Primeiro dia de evento amplia visão sobre o futuro do Sistema Financeiro, Cenário Econômico Nacional e Avanço Tecnológico  A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) abriu nesta quinta-feira (11) a Conferência Interestadual dos Bancários de 2024. O tema central do evento deste ano é “Categoria […]

Leia mais

Proposta da Caixa para PcD é frustrante

Contudo, houve definição sobre pagamento dos deltas da promoção por mérito A proposta da Caixa Econômica Federal sobre redução de jornada e priorização de empregadas e empregados PcD, ou que tenham filhos de até seis anos com deficiência, frustrou a representação dos trabalhadores. “Na proposta do banco, somente há possibilidade de redução da jornada com […]

Leia mais

Sindicatos filiados