Novo PDV da Caixa coloca movimento sindical em alerta

07.02.2017

O prazo para adesão teve início nesta terça-feira (07) e permanece aberto até o dia 20 de fevereiro. Representantes dos trabalhadores protestam contra sobrecarga de trabalho e cobram reposição das vagas Adiantado pela imprensa em 04 de janeiro, o Plano de Demissão Voluntária Extraordinária (PDVE), da Caixa Econômica Federal (CEF) foi anunciado oficialmente nesta segunda-feira […]

O prazo para adesão teve início nesta terça-feira (07) e permanece aberto até o dia 20 de fevereiro. Representantes dos trabalhadores protestam contra sobrecarga de trabalho e cobram reposição das vagas

Adiantado pela imprensa em 04 de janeiro, o Plano de Demissão Voluntária Extraordinária (PDVE), da Caixa Econômica Federal (CEF) foi anunciado oficialmente nesta segunda-feira (06), colocando o movimento sindical em alerta.

A expectativa da instituição financeira é efetivar o desligamento de 10 mil empregados por meio do plano, como parte da estratégia para igualar seus custos operacionais aos dos bancos privados, medida que acende um sinal amarelo não apenas entre os representantes dos trabalhadores, mas também entre os servidores da ativa, uma vez que até o momento a CEF não informou qualquer providência para controlar o déficit de funcionários que só vem se agravando após os PDVs realizados pelo banco, gerando sobrecarga de trabalho aos empregados e até adoecimento.

Funcionários que aderirem ao plano deverão se desligar da empresa entre 14 de fevereiro e 08 de março.

Quem pode aderir ao PDVE

De acordo com as regras anunciadas pela Caixa, poderão aderir ao PDVE servidores aposentados pelo INSS ou que podem se aposentar até 30 de junho deste ano, empregados com um mínimo de 15 anos de trabalho efetivo ou com adicional de incorporação de função de confiança, cargo em comissão ou função gratificada até a data de desligamento (sem exigência de tempo mínimo de efetivo exercício na Caixa).

Benefícios

O banco oferece 10 remunerações com base no salário do empregado – tendo 31 de janeiro deste ano como data de referência – continuidade do Saúde Caixa por tempo indeterminado para funcionários aposentados pela Previdência Social; que podem se aposentar até 30 de junho de 2017 ou que já foram contratados na condição de aposentados pelo INSS e que possuem um mínimo de 120 meses de contribuição ao Saúde Caixa. Para o restante dos empregados que aderirem ao PDVE, no entanto, a cobertura do plano será de 24 meses.

Com informações da Fenae

 

Notícias Relacionadas

Semana reforçou a conscientização sobre o combate às LER/Dort

A data chama atenção para duas doenças que têm relação direta com o trabalho e que atingem milhões de brasileiros Nesta semana, no dia 28 de fevereiro (última quarta-feira) foi o Dia Mundial de combate às Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort). A data foi escolhida pela Organização Internacional […]

Leia mais

COE e Itaú discutem revisões nos programas de remuneração

Durante a reunião foram apresentadas modificações nos programas. O movimento sindical deve elaborar contraproposta em breve  A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú realizou nesta quarta-feira (28), em São Paulo, uma reunião com a direção do banco para debater questões relacionadas à remuneração dos funcionários. Durante o encontro, o banco apresentou alterações nos […]

Leia mais

Trabalhadores discutem futuro da Fundação Itaú-Unibanco

Em seminário promovido pela Contraf-CUT e COE Itaú trabalhadores debateram caminhos para aumentar representatividade na gestão do fundo de pensão Trabalhadoras e trabalhadores associados à Fundação Itaú-Unibanco se reuniram, nesta quinta-feira (29), em um seminário organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e pela Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, […]

Leia mais

Sindicatos filiados