Opinião: Nossas lutas na história do Brasil

01.05.2014

Por Davi Zaia* O 1º de Maio é, historicamente, dia de festa. Grandes celebrações, shows, alegria… O trabalhador merece tudo isto. Ainda mais por sabermos a importância de cada um, cada uma, para o crescimento e desenvolvimento do nosso País. Os trabalhadores sempre estiveram à frente dos momentos mais importantes da história recente do Brasil, […]

Por Davi Zaia*

O 1º de Maio é, historicamente, dia de festa. Grandes celebrações, shows, alegria… O trabalhador merece tudo isto. Ainda mais por sabermos a importância de cada um, cada uma, para o crescimento e desenvolvimento do nosso País.

Os trabalhadores sempre estiveram à frente dos momentos mais importantes da história recente do Brasil, e temos que destacar isto, ainda mais em um ano tão simbólico como 2014.

Há 50 anos um golpe militar instituía o mais longo e duro período de ditadura no Brasil. Políticos tiveram seus diretos cassados; a população vivia um período de insegurança. Prisões arbitrárias, torturas… uma mancha na nossa história.

Mas, há exatos 30 anos, um dos maiores atos públicos do País reunia e estimulava os brasileiros na busca por dias melhores: o movimento Diretas Já. E ele teve a participação decisiva de trabalhadores e sindicatos de diversas categorias de todo o Brasil, principalmente naquele que foi considerado o ponto alto: a passeata que foi do Vale do Anhangabaú até a Praça da Sé, e reuniu 1,5 milhão de pessoas.

Neste período obscuro, o trabalhador mostrou sua força e a sua importância; demonstrou que, unidos, tem nas mãos o poder de mudar um País. Sindicatos e Centrais têm papeis fundamentais neste processo. Lembro bem que, nesta época, estava à frente do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região. Organizamos grandes atos, mobilizamos não só a categoria, mas a sociedade e demonstramos a todos o quão importante era a retomada da democracia.

Os saldos desta batalha todos conhecem: pouco tempo depois, Tancredo Neves foi eleito pelo Colégio Eleitoral e a ditadura foi extinta no Brasil. Vivemos um período pleno de democracia, um dos maiores da nossa história. E isso deve ser valorizado, relevado e aplaudido. E, reforço, o trabalhador foi e é fundamental pra isso.

Neste dia 1º de maio o meu maior desejo é que estas lutas do passado, que lembramos especialmente neste ano, sejam mola para que as diversas categorias, junto com seus sindicatos e centrais, possam mostrar a força que tem. A luta dos trabalhadores foi – e é – fundamental para o crescimento do Brasil e deve ser estimulada sempre. Unidos, somos sempre mais fortes.

*Davi Zaia é presidente da Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) e deputado estadual.

Notícias Relacionadas

Conferência Interestadual aprova eixos para Conferência Nacional de 2024

Sindicatos dos Bancários debateram propostas e aprovaram pautas em defesa do trabalhador. Documento será apresentado em Conferência Nacional para discussão na Campanha Salarial de 2024 Delegações de 21 regionais dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul se reuniram nesta quinta e sexta-feira, 11 e 12 de abril, para debater propostas que serão […]

Leia mais

Abertura da Conferência Interestadual da Feeb SP/MS conta com delegações de 21 regionais

  Primeiro dia de evento amplia visão sobre o futuro do Sistema Financeiro, Cenário Econômico Nacional e Avanço Tecnológico  A Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Feeb SP/MS) abriu nesta quinta-feira (11) a Conferência Interestadual dos Bancários de 2024. O tema central do evento deste ano é “Categoria […]

Leia mais

Proposta da Caixa para PcD é frustrante

Contudo, houve definição sobre pagamento dos deltas da promoção por mérito A proposta da Caixa Econômica Federal sobre redução de jornada e priorização de empregadas e empregados PcD, ou que tenham filhos de até seis anos com deficiência, frustrou a representação dos trabalhadores. “Na proposta do banco, somente há possibilidade de redução da jornada com […]

Leia mais

Sindicatos filiados