Paralisação em quatro agências do HSBC em Campinas e Valinhos exige fim das demissões

06.12.2020

Quatro agências do HSBC em Campinas (Cambui, Taquaral e Trevo) e Valinhos paralisaram os serviços hoje (14/6) para exigir o fim das demissões, mais contrações, valorização dos funcionários e melhores condições de trabalho. “A paralisação de 24h integra o Dia Nacional de Luta”, explica o diretor do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, Danilo […]

Quatro agências do HSBC em Campinas (Cambui, Taquaral e Trevo) e Valinhos paralisaram os serviços hoje (14/6) para exigir o fim das demissões, mais contrações, valorização dos funcionários e melhores condições de trabalho. “A paralisação de 24h integra o Dia Nacional de Luta”, explica o diretor do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região, Danilo Anderson. Segundo ele, o protesto também teve como objetivo denunciar o desrespeito do Banco inglês na mesa de negociação, conforme carta aberta distribuída aos clientes e usuários.

Na primeira rodada de negociação, realizada no último dia 4, o HSBC negou tudo. Inclusive o Sindicato promoveu reuniões nas agências Centro e Amoreiras, em Campinas, no último dia 6, para debater o resultado da negociação. No mesmo dia, distribuiu em todas as agências o jornal Análise, editado pela Contraf-CUT.

O resultado da primeira rodada frustrou os sindicatos. Na pauta, temas como emprego, o não desconto dos programas próprios de remuneração (PPR/PSV) na PLR e previdência complementar. O HSBC afirmou que não vai contratar novos funcionários, principalmente na área de atendimento. Quanto à remuneração, informou que manterá o desconto do PPR B e D na PLR, que atinge a área de serviços e retaguarda. No que se refere à previdência complementar, o HSBC ressaltou que o novo benefício para os que têm renda superior a R$ 3.500,00, apresentado unilateralmente, não é discriminatório. “O plano contempla parte dos funcionários; portanto, pode-se afirmar que é uma forma de segregação. Reivindicamos o benefício a todos os funcionários”, destaca a diretora do Sindicato de Campinas Gisele Paifer, que participou da rodada do dia 4.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Campinas

Notícias Relacionadas

Bancários criam Comitê de Luta durante Congresso Nacional

Comitê nacional lutará para defender o BB como instituição pública e em apoio a projeto de Governo que fortaleça o banco e sua função social, de indutor do crescimento econômico com geração de emprego e renda O papel do Banco do Brasil na reconstrução do país foi um dos temas em destaque no 33° Congresso […]

Leia mais

Coe Itaú entrega pauta de reivindicação específica ao Banco

O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú Os representantes da Comissão de Organização dos Empregados (COE) Itaú entregaram nesta quinta-feira (23), a pauta de reivindicação específica do banco. O documento é resultado do Encontro Nacional dos Bancários do Itaú. “Reafirmamos o nosso compromisso com o banco de negociação permanente, através da […]

Leia mais

Campanha Nacional: Bancários definem temas das próximas negociações com os bancos

Demissão em massa pelo Mercantil do Brasil no Rio de Janeiro; abono do banco de horas negativas e retirada de pauta do PL 1043/2019, também foram pautas do primeiro dia de negociação O Comando Nacional dos Bancários definiu nesta quarta-feira (22), os temas das reuniões de negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados