Piracicaba: Após incêndio, Sindban atua para transferência de bancários

28.11.2016

Agência do Santander da XV de Novembro pegou fogo na sexta-feira, 25. Ainda hoje, cheiro forte era risco à saúde dos bancários Vinte e um bancários do Santander da rua XV de Novembro foram transferidos nesta manhã (28) para a agência da rua Moraes Barros, após ação das Secretaria de Saúde e Condições do Trabalho […]


Agência do Santander da XV de Novembro pegou fogo na sexta-feira, 25. Ainda hoje, cheiro forte era risco à saúde dos bancários

Vinte e um bancários do Santander da rua XV de Novembro foram transferidos nesta manhã (28) para a agência da rua Moraes Barros, após ação das Secretaria de Saúde e Condições do Trabalho e Jurídica do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região. Na sexta-feira, um foco iniciado na sala dos vigilantes provocou um incêndio e o cheiro e vestígios ainda era forte nesta segunda-feira. Os motivos do incidente ainda serão investigados.

A ação do Sindban foi rápida para garantir que os bancários não fossem prejudicados em sua saúde por inalarem o forte cheiro de fumaça. As diretoras Olívia Brossi (Saúde) e Teresinha Altarugio (Jurídica) visitaram a agência para solicitar a gerência geral providências para a retirada dos trabalhadores. Além dos bancários, atuam na agência duas faxineiras e três vigilantes. “A compreensão do problema foi imediata e a agência da rua Moraes já absorveu os funcionários”, disse Olívia. “Caso o problema seja resolvido, os bancários retornam à agência de origem ainda hoje, mas se for necessário, permanecerão na nova agência até que se tenha segurança para todos”, explicou Teresinha. O Sindban foi atendido pela gerente geral Silvia Maura Aneli Stella.

A agência Santander da rua XV de Novembro permanecerá fechada até que seja possível recepcionar os trabalhadores com todas as condições necessárias de preservação à saúde dos bancários e, também, dos clientes. Os caixa eletrônicos também estão fechados.

Saúde – Uma das tarefas do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região é garantir, na prática, as cláusulas sociais do Acordo Coletivo formalizado entre a categoria e os banqueiros. A garantia das condições do ambiente é um dos temas relevantes dos acordos, que vão muito além das cláusulas financeiras. Nas negociações anuais que acontece na data base da categoria bancária, em setembro, o Sindban de Piracicaba é contundente na defesa das cláusulas atuais. A manutenção destes benefícios dependem cada vez mais da participação dos bancários junto à entidade.

Segundo José Antonio Fernandes Paiva, presidente do Sindicato dos Bancários, ações que parecem simples como a de garantir a transferência dos bancários de uma agência a outra, devido aos vestígios do incêndio, são possíveis porque no passado foram feitas discussões entre Sindicatos e banqueiros para regulamentar as ações. “Somos trabalhadores de um setor altamente competitivo que, pela lucratividade, busca sempre adequações que podem prejudicar o trabalhador. Estamos atentos e esta é nossa função, garantir também o bem estar do trabalhador bancários”.

Fonte: Valéria Rodrigues – Sindicato dos Bancários de Piracicaba e Região
 

Notícias Relacionadas

Trabalhadores do Itaú entregam pauta específica de reivindicações no dia 25

Documento é resultado do encontro nacional, realizado em São Paulo, no dia 6 de junho A Comissão de Organização dos Empregados (COE) vai entregar a minuta específica de reivindicações ao Itaú na próxima terça-feira (25). O documento servirá de base para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico do banco. As reivindicações foram […]

Leia mais

Intransigência da Caixa encerra negociações sobre redução de jornada para pais/mães e responsáveis por PcD e neurodivergentes (TEA)

Banco retira da proposta a concessão para empregados PcD, impõe uma série de travas para permitir a redução da jornada para pais/mães/responsáveis de PcD e encerra mesa de negociações após receber questionamentos sobre pontos sensíveis da proposta A reunião que negociaria a redução de jornada para empregadas e empregados da Caixa Econômica Federal com deficiência […]

Leia mais

Caixa afirma que contencioso é insignificante, mas dados disponíveis demonstram o oposto

Fonte: APCEF/SP com informações da Fenae Em uma live realizada nesta terça-feira (18), a Funcef (Fundação dos Economiários Federais) e a Caixa anunciaram que estão abordando o contencioso trabalhista. Segundo Leonardo Groba, diretor jurídico da Caixa, o contencioso atual estaria estimado em cerca de R$ 500 milhões, “não tem grandes proporções, mas a Caixa possui […]

Leia mais

Sindicatos filiados