Polícia Federal multa bancos em R$ 4,630 milhões no primeiro semestre

08.10.2020

A Polícia Federal multou os bancos em R$ 4,630 milhões no primeiro semestre de 2010 por descumprimento da lei federal nº 7.102/83 e normas de segurança. As punições foram definidas em reuniões realizadas pela Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada (CCASP) do Ministério da Justiça, coordenada pela Polícia Federal.   O Santander encabeçou a […]

A Polícia Federal multou os bancos em R$ 4,630 milhões no primeiro semestre de 2010 por descumprimento da lei federal nº 7.102/83 e normas de segurança. As punições foram definidas em reuniões realizadas pela Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada (CCASP) do Ministério da Justiça, coordenada pela Polícia Federal.
 
O Santander encabeçou a lista das multas com R$ 1,333 milhão, seguido pelo Itaú Unibanco, com R$ 1,029 milhão. Logo após vem o Banco do Brasil, com R$ 551, 665 mil, Bradesco com R$ 365 mil, Caixa Federal com R$ 312 mil e o HSBC em R$ 300 mil. As principais irregularidades foram: funcionamento das agências com plano de segurança vencido, número insuficiente de vigilantes, utilização de bancários para fazer transporte de valores e alarme inoperante. Em 2009, os bancos foram multados em R$ 15,540 milhões.
 
"Essas multas revelam a falta de responsabilidade social dos bancos, pois, apesar de seus lucros bilionários investem pouco nas melhorias das condições de segurança dos estabelecimentos, descumprindo leis de segurança e não priorizando investimentos para eliminar riscos e prevenir assaltos”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).
 
No primeiro semestre deste ano, os três maiores bancos privados, que já divulgaram seus balanços, lucraram R$ 14,44 bilhões. “O Itaú Unibanco bateu lucro recorde de R$ 6,3 bilhões no período, média superior a R$ 1 bilhão por mês, mas, em vez de ampliar os investimentos em segurança, está retirando as portas giratórias com detectores de metais na maioria de suas agências, fragilizando ainda mais a proteção da vida dos trabalhadores e clientes”, destaca Carlos Cordeiro.
 

A CCASP é um fórum tripartite e conta com representantes do governo, entidades patronais e dos bancários e vigilantes. As reuniões ocorrem, em média, a cada dois meses, onde são julgados processos abertos pela fiscalização das delegacias estaduais da Polícia Federal.

Fonte: Junior Barreto/Contraf

Notícias Relacionadas

Bancários aprovam acordos de trabalho do Santander

97,18% dos funcionários aprovaram o acordo com o banco Bancários do banco Santander de todo o país aprovaram, nesta quinta-feira (22), com 97,18% dos votos, o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) geral dos funcionários, aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria bancária, o ACT do Programa de Participação nos Resultados Santander (PPRS) e […]

Leia mais

Negociação dos Financiários continua sem avanços

Financeiras apresentam proposta abaixo da expectativa da categoria Representantes dos Financiários e a Federação Interestadual das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Fenacrefi) se reuniram nesta quinta-feira (22) para dar continuidade às negociações da campanha salarial da categoria. A pauta de reivindicações da categoria, com data-base em 1º de junho, foi entregue no dia 15 […]

Leia mais

Bancários do Santander participam de Assembleia nesta quinta-feira (22/9)

Votação acontece em plataforma eletrônica das 8h às 20h Nesta quinta-feira (22), bancários do Santander de todo o país participam de Assembleias para avaliar o Acordo Coletivo de Trabalho, o Acordo Coletivo de Trabalho sobre a Participação nos Lucros e Resultados (PPRS) e o Termo de Relações Laborais, todos com validade por dois anos. Os […]

Leia mais

Sindicatos filiados